CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

segunda-feira, 8 de maio de 2017

LIBERDADE DE EXPRESSÃO, CENSURA E DITADURA - ROGER SCRUTON



"O efeito da ideologia marxista é precisamente colocar o Estado comunista no caminho da dominação. Ninguém acredita que ele deveria dominar, muito menos aqueles que se desculpam por seus, "erros" e "desvios". Nem qualquer cidadão de um Estado cornunista deseja aumentar seu poder de forma tão alarmante. Mas ninguém sabe como pará-lo, já que nenhuma razão para pará-lo pode ser proferida sem penalidade instantânea."

(PENSADORES DA NOVA ESQUERDA - Roger Scruton)

"O que houve de mais destrutivo na propaganda nazista não foi a expressão daquelas horríveis opiniões, mas a supressão daquelas que as refutavam. Foi a falta da liberdade de expressão que fez com que as ideias nazistas fugissem do controle, livres dos argumentos que as exporiam ao ridículo."

" O policiamento da esfera pública com o intuito de suprimir opiniões “racistas” causou uma espécie de psicose pública, uma sensação de andar na ponta dos pés em um campo minado, desviando-­se de bombas de ódio que podem explodir na sua cara. E essa bomba foi plantada e preparada por pessoas muitas das quais vêem na acusação de racismo uma forma útil de minar a crença em nosso país e sua forma de viver. Consequentemente a polícia, funcionários públicos, vereadores e professores têm hesitado em pensar da forma como eles sabem ser a verdade, ou agir contra aquilo que eles sabem ser errado. Vemos isso nos casos de abuso sexual ocorridos em Rotherham e outros lugares, onde a relutância em destacar uma comunidade imigrante como criminosa fez com que devidas atitudes não fossem tomadas."

(A ARTE DE SE OFENDER E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO - Roger Scruton)




Arte de se Ofender e a Liberdade de Expressão

Roger-Scruton

Não é possível impor leis contra a ofensa. Não há legislação, ou invenção de novos crimes e punições que consigam expressar a ironia, o perdão e a boa vontade às mentes treinadas na arte de ofender­-se. Isso é tão verdadeiro em relação a feministas radicais quanto a sectários e radicais islâmicos. Por mais que tenhamos o dever moral de rir destas piadas, eles fizeram disso algo perigoso. Mas não devemos jamais perder de vista o fato de que são eles os transgressores, e não nós. Aqueles que vêem deboche em tudo — e reagem com ódio implacável sempre que pensam estar se deparando com ele—, são os verdadeiros ofensores.

***

Opiniões racistas não vão desaparecer apenas porque proibimos sua expressão. Na verdade, proibir pode causar uma especial fascinação. O que houve de mais destrutivo na propaganda nazista não foi a expressão daquelas horríveis opiniões, mas a supressão daquelas que as refutavam. Foi a falta da liberdade de expressão que fez com que as ideias nazistas fugissem do controle, livres dos argumentos que as exporiam ao ridículo. Em contraste, os negros nos Estados Unidos ganharam o status de cidadãos iguais, em parte, devido à liberdade de discussão, levando os americanos comuns a compreenderem que os estereótipos racistas são irracionais e injustos. Foi porque eles expressaram sua opinião que os racistas foram vencidos.

Esta questão é de vital importância para nós, na Grã Bretanha. O policiamento da esfera pública com o intuito de suprimir opiniões “racistas” causou uma espécie de psicose pública, uma sensação de andar na ponta dos pés em um campo minado, desviando-­se de bombas de ódio que podem explodir na sua cara. E essa bomba foi plantada e preparada por pessoas muitas das quais vêem na acusação de racismo uma forma útil de minar a crença em nosso país e sua forma de viver. Consequentemente a polícia, funcionários públicos, vereadores e professores têm hesitado em pensar da forma como eles sabem ser a verdade, ou agir contra aquilo que eles sabem ser errado. Vemos isso nos casos de abuso sexual ocorridos em Rotherham e outros lugares, onde a relutância em destacar uma comunidade imigrante como criminosa fez com que devidas atitudes não fossem tomadas. Meu último romance “Os Desaparecidos” é uma tentativa de explorar em profundidade a desordem moral que adentrou nossa sociedade por meio deste tipo de autocensura que impede um professor, um policial ou assistente social de agir, precisamente quando isto é mais necessário.

A autocensura é ainda pior do que a censura de estado. Por que inibe a discussão completamente. Devido às migrações em massa, nossa sociedade tem passado por mudanças radicais e potencialmente traumáticas sem o benefício da discussão pública, como se não tivéssemos escolha a respeito de nosso futuro. A profundidade da confusão e do ressentimento estão começando a se tornar perceptíveis — não somente aqui mas por toda a Europa —, algo que a liberdade de discussão teria evitado. Aqueles que tentam iniciar esta discussão estão sujeitos à caça às bruxas e sofrido pressões que poucos conseguem suportar. O resultado disso tem sido a perda de argumentos racionais em lugares onde nada é mais necessário do que argumentos racionais.

Uma última palavra sobre a arte de se ofender. Em nenhum outro lugar esta arte tem sido mais cultivada do que nos campi universitários dos Estados Unidos, onde uma nova cultura do medo foi instalada para capturar a psiquê do adolescente. Quando uma discussão toca questões dogmáticas como raça, sexo, orientação sexual ou política, muitas vezes o professor é obrigado a alertar os alunos antes de entrar nestes temas, para não se enveredar em áreas que possam trazer à memória do aluno algum evento traumático em sua vida. A visita de palestrantes com visões “heréticas” sobre feminismo ou homossexualidade são também precedidas por alertas no campi. Alguns campi inclusive oferecem espaços seguros onde os estudantes podem buscar consolo no caso de terem sido expostos à contaminação por pontos de vista ortodoxos.

Por mais engraçado que isso seja, tenha cuidado para não rir, principalmente se você não for um professor concursado. Aqueles que desejam manter os alunos em um estado de vulnerabilidade paparicada, protegidos das ideias contrárias e inexperientes na argumentação, atualmente patrulham os campi e o resultado é que estes lugares, que deveriam ser o último bastião da razão em um mundo confuso, tornaram-se lugares onde as mentes confusas encontram consolo. Este exemplo ilustra claramente como os ataques à liberdade de expressão podem chegar longe a ponto de obstruir o caminho para o conhecimento. E, ao final disso tudo, devemos valorizar a liberdade que John Stuar Mill corretamente defendeu —como o fundamento de uma sociedade livre —, sem a qual nunca saberemos aquilo que pensamos.

[*] Roger Scruton.

A Point of View: Why people shouldn’t feel the need to censor themselves.
BBC News. 8 de novembro de 2015.
Tradução: Filipe Azevedo Revisão: Hugo Silver
http://tradutoresdedireita.org/roger-scruton-sobre-a-arte-de-se-ofender-e-a-liberdade-de-expressao/
http://tradutoresdedireita.org/tag/politicamente-correto/
http://tradutoresdedireita.org/tag/roger-scruton/

PENSADORES DA NOVA ESQUERDA
Roger Scruton  

Tampouco poderíamos dissociar a Nova Esquerda da atitude que o comunismo toma diante de seus oponentes. Os escritos de Bahro, Gramsci, Lukács e Althusser mostram abundantemente que o pensamento totalitário está implícito nas categorias da análise social que eles empregam. Para tais pensadores, o oponente nunca é algo mais que um oportunista. O que ele fala não é racional, mas pura "ideologia" (no sentido peculiar marxista do termo). Seu clamor pela verdade automaticamente tomado pelo interesse de classe que se expressa através dele. E porque ele é oposto às ideias "socialistas" do "proletariado" – como representado em sua vanguarda intelectual – ele fala somente pela "burguesia". A ideia de Gramsci da "hegemonia de classe" novamente prova sua utilidade, ao explicar como as vozes da reação podem circular por toda sociedade, impedindo o movimento do processo histórico e colocando no coração do proletariado o cancro da falsa consciência". Sempre que se encontra oposição, encontra-se o inimigo de classe, mesmo que ele esteja vestindo algum disfarce astuto. Não se deve argumentar com este inimigo, pois ele não pode alcançar a verdade; ainda menos deve ser ele o objeto de algum compromisso. Somente depois de sua eliminação definitiva da ordem social a verdade será percebida por todos. 

É precisamente esta filosofia, que oferece o poder para os intelectuais, aquela que constitui a maior ameaça à liberdade intelectual. Uma vez no poder, o intelectual "expropria os meios de comunicação" (até então nas mãos da "burguesia"), e dissolve a instituição da democracia "burguesa" em nome da causa proletária. O resultado universal é a eliminação da oposição efetiva. Esta falta de oposição é a característica decisiva do governo comunista. É claro, há pessoas que discordam da linha do partido, e pessoas que se opõem a ela. Mas o processo político em um Estado comunista não dá espaço para elas. E, a fim de apagar a permanente voz da oposição, o partido dominante recorre à ideologia – conjunto de doutrinas, na maioria das vezes de uma estupidez atroz, feito para fechar as vias da investigação intelectual.  

O propósito desta ideologia não é que as pessoas deveriam acreditar nela. Pelo contrário, o propósito é tornar a crença irrelevante, livrar o mundo da discussão racional em todas as áreas em que o partido postula o que pensa. A ideia de uma "ditadura do proletariado" não é para descrever uma realidade: é para levar as investigações ao fim, de forma que a realidade não possa mais ser percebida. Esta característica da ideologia é muito clara, e a obra de Kolakowski, Aron e, Besançon não nos deixaram em dúvida sobre o ancestral intelectual destas estranhas encantações, que fala, às vezes, das vitrines das lojas vazias da Europa Oriental, outras vezes, dos textos sagrados da sociologia ocidental."  

A ideologia do marxismo moderno não é simplesmente um instrumento de controle social: é um componente-chave do pensamento de esquerda. A mesma "expropriação da verdade" que pode ser testemunhada na terrível linguagem do Partido Comunista pode ser vista também nos escritos de Sartre, Lukács e Althusser e, numa extensão menor, nos de Anderson, Wallerstein e Williams.

Esta ideologia tampouco é uma excentricidade inofensiva — um conveniente substituto para a religião, em mentes tão orgulhosas para reconhecer a virtude da expiação. É uma arma perigosa, que ameaça exatamente a estrutura do pensamento e da ação racional. O primeiro efeito da ideologia no poder é marcar áreas onde a discussão está fechada e onde existe uma brecha para o homem comum se aventurar. Porque estas são as áreas nas quais a oposição poderia se enraizar — as áreas da escolha política fundamental—; a ideologia é um instrumento importante na guerra contra a oposição. Ela elimina o elemento da escolha racional das decisões políticas, pois remove a linguagem na qual os princípios poderiam se assentar. Fundamentos não podem mais ser questionados, não porque foram aceitos, mas porque são tabus. 

A incapacidade de discutir com oponentes, de abrir a mente para a dúvida e para a hesitação é uma característica enraizada na Nova Esquerda. Todas as discussões são travadas com aqueles que partilham as mesmas ilusões fundamentais, e — por mais acalorados que possam ser os "argumentos dentro do marxismo", tais como os de Anderson, Thompson e Williams — elas permanecem como argumentos dentro do marxismo, nunca fora dele. Exatamente a mesma incapacidade é demonstrada pelo governo comunista, que faz escolhas-fundamentais sem o benefício da dúvida e de medidas corretivas. Um tal governo não pode estar comprometido por obrigações, já que não pode ouvir a voz que se esforça para torná-lo responsável por algo diferente de si mesmo. Por isso, ele busca constantemente incrementar seu poder, para que a oposição nunca cresça tanto a ponto de acusá-lo. Ele se posiciona acima de qualquer lei e considera todas as pessoas apenas como um meio para o supremo objetivo revolucionário da "justiça social". Seus líderes (a menos que tenham sido canonizados como Heróis Revolucionários) são esquecidos assim que deixam o cargo, e não existe procedimento nem para elegê-los nem para removê-los. O poder é a única mercadoria, e é um poder que está além de toda avaliação racional. O avanço impessoal do poder não é de responsabilidade de ninguém, já que nenhum indivíduo pode criticar os feitos do poder ou sentir-se pessoalmente responsável por eles, quando serve como o canal através do qual eles escoam. 

Não deveríamos tampouco ignorar as consequências para nós, que até agora escapamos do jugo do comunismo, deste poder que a Nova Esquerda nos encoraja a ver como o mal somente no sentido de que todo poder é mal, sendo o nosso próprio poder o maior de todos. O efeito da ideologia marxista é precisamente colocar o Estado comunista no caminho da dominação.  

Ninguém acredita que ele deveria dominar, muito menos aqueles que se desculpam por seus, "erros" e "desvios". Nem qualquer cidadão de um Estado cornunista deseja aumentar seu poder de forma tão alarmante. Mas ninguém sabe como pará-lo, já que nenhuma razão para pará-lo pode ser proferida sem penalidade instantânea.  

A ideologia do comunismo sustenta que a obra do comunismo será finalizada quando o comunismo tiver triunfado em todos os lugares. Embora não se possa crer nisso, é o que acontece na prática: o propósito da ideologia é precisamente fazer a crença irrelevante para a ação, cerrar os lugares nos quais a discussão racionalizada poderia entrar, e alçar toda ação para um objetivo único. A máquina de Estado do comunismo não está somente fora de controle e acima de toda reprovação: está também atada a um objetivo impessoal de proporções monumentais, do qual ela pode ser demovida somente pela força. A força necessária para opor-se é sempre maior, e a vontade para tentar é sempre menor. 

As pessoas, assim, estão tentadas a ver os Estados comunistas como eles veem os nossos. Como Thompson e Galbraith, elas buscam por desculpas que nos farão parecer igualmente culpáveis pelas tensões presentes, sem perceber que a nossa exata capacidade de aceitar e responder à culpa é o que oferece nossa exoneração.
 

 O REMÉDIO QUE MATA O DOENTE



A IDEOLOGIA DA DESTRUIÇÃO
"o marxismo não é uma doutrina insepulta, mas uma forma de religião ativa que provoca um pandemônio cognitivo, inviabiliza o senso crítico e devasta os padrões morais do sujeito que adere a ele."
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/05/a-ideologia-da-destruicao.html

FACEBOOK FECHA MILHARES DE PÁGINAS DA REDE FRANCESA PARA CALAR A DIREITA ANTES DAS ELEIÇÕES
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/04/censura-facebook-fecha-milhares-de.html

FAKE NEWS - GEORGE SOROS QUER CENSURAR AS "NOTÍCIAS FALSAS" QUE ELE TEME MAS NÃO PODE DESMENTIR - POVO X MENTIRA NO PODER
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/03/george-soros-quer-censurar-as-noticias.html

Mais Fake News financiadas por George Soros: no Facebook, o projeto Correctiv
http://midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/mais-fake-news-financiadas-por-george-soros-no-facebook-o-projeto-correctiv/#.WR4EoBbsLMA.facebook

George Soros e a Desordem Mundial
http://tradutoresdedireita.org/george-soros-e-a-desordem-mundial/

"NOTÍCIA FALSA" É O TERMO QUE ANUNCIA A MAIS VASTA OPERAÇÃO DE CENSURA DA OPINIÃO QUE JÁ SE VIU - OLAVO DE CARVALHO http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/12/noticia-falsa-e-o-termo-que-anuncia.html

ALEMANHA QUER MULTAR EM MILHÕES DE EUROS AS REDES SOCIAIS COM ACUSAÇÕES DE "FAKE NEWS" E PRETEXTOS POLITICAMENTE CORRETOS
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/03/fake-news-alemanha-quer-multar-em.html

CENSURA, MANIPULAÇÃO, OCULTAÇÃO DO CONHECIMENTO NAS ESCOLAS -  OLAVO DE CARVALHOhttp://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/03/censura-manipulacao-ocultacao-do.html

"A instituição do "politicamente correto" foi uma estratégia de genocídio cultural destinada a desarmar a cultura ocidental para que não pudesse se defender de ataques provenientes de "minorias" internas ou de culturas concorrentes. O passo seguinte é a transição do genocídio cultural para o homicídio pré-legitimado e em seguida para o genocídio em sentido estrito. Em todo o Ocidente as ondas de crimes violentos praticados por "minorias" vêm crescendo, e quem quer que as denuncie é imediatamente estigmatizado como racista e removido da sociedade decente. O caso Zimmerman condensa a nova regra: se o agressor é negro, a legítima defesa é proibida." (OLAVO DE CARVALHO)
https://www.facebook.com/olavo.decarvalho/posts/10151718170297192


O RELATIVISMO ABRE O CAMINHO PARA O ABSOLUTISMO POLITICAMENTE CORRETO E A DISTORÇÃO DE VALORES E CONCEITOS
http://www.olavodecarvalho.org/semana/130325dc.html

CENSURA REAL 
"Falar em "doutrinação" é eufemismo. O que há nas universidades brasileiras é uma DITADURA COMUNISTA brutal, obscena e intolerante. Não há uma só universidade neste país na qual o anticomunismo não seja PROIBIDO, PERSEGUIDO E PUNIDO. "
OLAVO DE CARVALHO

HEGEMONIA:  "Por outro lado, a discriminação ideológica nos sistemas comunistas tem a finalidade de proibir outras idéias e de impor as suas. São duas surpreendentes formas de tirania inacreditável, total. O pensamento é a mais criadora das forças: descobre o que é novo. O homem não pode viver nem produzir se não pensar e meditar. Mesmo que possam negá-lo, os comunistas são forçados a aceitar, na prática, esta verdade. Por isso, procuram tornar impossível o predomínio de outro pensamento que não seja o deles.  O homem pode renunciar a muitas coisas, mas tem necessidade de pensar e comunicar seus pensamentos. É um sofrimento profundo ser compelido a silenciar quando se tem necessidade de expressão. OBRIGAR O HOMEM A NÃO PENSAR, A EXPRESSAR PENSAMENTOS QUE NÃO SÃO OS SEUS, É A PIOR FORMA DE TIRANIA.  A limitação da liberdade de pensamento não constitui apenas um ataque a direitos sociais e políticos específicos, mas também ao próprio ser humano como tal." (Milovan Djilas – “A Nova Classe”)

"Não esqueçamos que foi Lênin quem escreveu, com todas as letras: "DIZER A VERDADE É UM MESQUINHO PRECONCEITO BURGUÊS."
"Será necessário recordar o que dizia ALEXANDER SOLJENITSIN:
bastaria que os russos deixassem de mentir e o comunismo afundaria." (Vladimir Volkoff, PEQUENA HISTÓRIA DA DESINFORMAÇÃO)


"O cidadão, no sistema comunista, vive oprimido (...) Em última análise, todos os jornais são oficiais, bem como o rádio e outros meios de comunicação. Os resultados de tudo isso não são grandes, (...) Porém, resultados consideráveis são conseguidos tornando IMPOSSÍVEL A MANIFESTAÇÃO DE OPINIÕES que não sejam as oficiais e combatendo

as idéias contrárias. " (Milovan Djilas – “A Nova Classe”) 

OLAVO DE CARVALHO - "O tom de certeza definitiva com que qualquer bobagem politicamente correta se apresenta hoje como o nec plus ultra da inteligência humana jamais teria se tornado possível sem esse longo período de entorpecimento e de trevas, essa longa noite da inteligência, ao fim da qual estava perdida a simples capacidade de discernir entre o normal e o aberrante, o sensato e o absurdo, a obviedade gritante e o ilogismo impenetrável."
http://www.olavodecarvalho.org/semana/120604dc.html


ELES TÊM O PODER PARA CENSURAR, MAS NÃO PARA DESMENTIR? Não é a censura que acaba com a mentira, é a verdade. A censura joga a criança fora com a água do banho. Seria fácil para autoridades, grande mídia e entronizados no poder desmentir a mídia alternativa e as redes sociais, mas eles perdem na competição com os pequenos porque jogaram fora sua credibilidade, não têm o apoio dos fatos e a coerência da verdade. Não lhes resta outra opção senão nos calar. Reaja! A internet é nossa única arma. "SE UMA NOTÍCIA É FALSA, VOCÊ NÃO A CENSURA, VOCÊ A DESMENTE"(Flávio Morgenstern)
Gente, o politicamente correto tem que ser desmascarado! Ele tem sido a principal arma da esquerda. Com pretextos politicamente corretos eles nos atacam de todos os lados: impõem o DESARMAMENTO, a CENSURA, importam TERRORISTAS,  DESEDUCAM as crianças, CRIMINALIZAM inocentes e muito mais. É urgente arrancar a máscara dessa mentira criminosa. Como é que nenhum jurista, nenhum pensador de direita fez um estudo sério dessa falcatrua ainda? Eles preferem ser vítimas?




REDES SOCIAIS E OPINIÕES NÃO TÊM A CREDIBILIDADE E O PODER DA IMPRENSA - OLAVO DE CARVALHO
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/02/mas-tem-o-poder-da-verdade.html

 POLITICAMENTE CORRETO, CENSURA, MARXISMO CULTURAL E ESCOLA DE FRAKFURT
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/04/politicamente-correto-marxismo-cultural.html

Cooperação Islâmica (OCI) para implementar a Resolução das Nações Unidas 16:18, que CRIMINALIZA TODA CRÍTICA AO ISLÃ em todo o mundo, a Casa dos Representantes dos EUA emitiu a H. Res. 569, condenando a violência, intolerância e "retórica de ódio" para com os muçulmanos nos Estados Unidos.
https://goo.gl/YorXIf
 
NADA disso estaria acontecendo se a informação estivesse circulando normalmente e a verdade não nos estivesse sendo sonegada:
David Rockefeller agradece à imprensa • Estamos gratos ao The Washington Post , The New York Times , Time Magazine e outras grandes publicações cujos directores assistiram às nossas reuniões e respeitaram as suas promessas de discrição (secretismo!) durante quase quarenta anos. “ Ter-nos-ia sido impossível desenvolver o nosso plano para o MUNDO se tivessemos sido expostos às brilhantes luzes da publicidade durante esses anos. Mas o mundo está agora muito mais sofisticado e pronto a marchar no sentido de um GOVERNO MUNDIAL . A soberania supranacional de uma élite intelectual & dos banqueiros mundiais .” — David Rockefeller, discurso na Comissão Trilateral em 1991

https://image.slidesharecdn.com/escravosdamidia-110619190728-phpapp01/95/escravos-da-midia-13-728.jpg?cb=1308510509
"Não sei como o acordo de sumir com a notícia veio a ser obedecido tão fielmente por todos os órgãos de mídia (se bem que no Brasil eles não sejam tantos que não se possa suborná-los, ou intimidá-los, ou simplesmente seduzi-los por atacado). Mas sei de onde partiu a ordem de sumiço: partiu do próprio Foro de São Paulo, na pessoa do seu fundador e dirigente máximo, Luís Inácio Lula da Silva."
http://www.olavodecarvalho.org/semana/061016dc.html

MEDIDA CONTRA O CONTROLE DA MÍDIA, CENSURA, PERSEGUIÇÃO POLÍTICA - JARBAS VASCONCELOS
https://youtu.be/lJoxtJzoNIA





A "PRAXIS" MARXISTA SUBSTITUI VERDADE POR PODER
Roger Scruton cita alguns autores que refutaram as teorias de Marx. Elas não poderiam permanecer em pé, válidas, se dependessem da racionalidade da argumentação: "tudo das teorias de Marx foi refutado: a teoria da história, por Maitland, Weber e Sombart; a teoria do valor por Bohm-Bawerk, Mises, Sraffa e muitos mais; a teoria da falsa consciência, alienação e luta de classes por uma ampla gama de pensadores, de Mallok e Sombart a Popper, Hayek e Aron." Nem todos esses críticos são da direita e alguns são simpatizantes do ideal da "justiça social", mesmo assim esses trabalhos não mereceram como resposta mais que zombarias da nova esquerda. Scruton, perguntando-se se alguma crítica sobre a doutrina esquerdista pode repercutir sobre o movimento, chega a uma grave conclusão, e bastante útil para nós: os adeptos são impermeáveis à argumentação lógica, às evidências, à verdade, por isso devemos nos dirigir aos que ainda não foram engolidos pela ideologia.

"O mínimo que pode ser dito é que não estamos negociando com um sistema de crenças sustentadas racionalmente. Como tento mostrar, as proposições importantes do pensamento de esquerda são precisamente aquelas que NÃO PODEM SER QUESTIONADAS. O marxismo-leninismo, por exemplo, reivindica que suas crenças fundamentais têm o estatuto de ciência, ainda que seja claro para qualquer observador neutro que essas crenças foram colocadas ALÉM da ciências, num reino de absoluta autoridade, que jamais poderá ser acessado pelos não iniciados. Marxistas referem-se a esta santificada esfera de elocução oficial não como uma crença ou teoria, mas como práxis: a doutrina torna-se inseparável da ação revolucionária. Práxis é o equivalente marxista da fé. Existe somente quando o véu da ignorância ("falsa consciência") é arrancado, num gesto de compromisso radical." (Roger Scruton, Pensadores da Nova Esquerda)

*
 "No lugar da objetividade, temos apenas" inter-subjetividade "- em outras palavras, consenso. Verdades, significados, fatos e valores são agora considerados negociáveis. O curioso, entretanto, é que este subjetivismo de mente louca anda de mãos dadas com uma vigorosa censura. Aqueles que colocam o consenso no lugar da verdade encontram-se distinguindo o verdadeiro do falso consenso. Assim, o consenso que Rorty assume exclui rigorosamente todos os conservadores, tradicionalistas e reacionários ".  ROGER SCRUTON
https://billmuehlenberg.com/2006/12/06/postmodernism-and-the-assault-on-reason/  
*
Condenar o culpado dá aos comunistas o ar de justiceiros, mas condenar o inocente é impor a vontade do Partido como um decreto divino, revogando a moral vigente e colocando o povo de joelhos ante uma nova autoridade, misteriosa e incompreensível. O efeito é devastador.
http://www.olavodecarvalho.org/semana/120322dc.html
*
OLAVO DE CARVALHO - "Trinta anos de estudos sobre a mentalidade revolucionária convenceram-me de que ela não é a adesão a este ou àquele corpo de convicções e propostas concretas, mas a aquisição de certos cacoetes lógico-formais incapacitantes que acabam por tornar impossível, para o indivíduo deles afetado, a percepção de certos setores básicos da experiência humana. A mentalidade revolucionária não é um conjunto de crenças, é um sistema de incapacidades adquiridas, que começam com um escotoma intelectual e culminam numa insensibilidade moral criminosa. É uma doença mental no sentido mais estrito e clínico do termo, correspondente àquilo que o psiquiatra Paul Sérieux descrevia como delírio de interpretação. Numa discussão com o homem normal, o revolucionário está protegido pela sua própria incapacidade de compreendê-lo."http://www.olavodecarvalho.org/semana/081211dc.html
*
A MENTIRA ESQUERDISTA PRETENDE APAGAR A DIFERENÇA ENTRE VERDADE E MENTIRA - OLAVO DE CARVALHO 
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/09/a-mentira-esquerdista-pretende-eliminar.htmlO



Nenhum comentário:

Postar um comentário