DOMINGO REZE UM MINUTO

Seguidores

domingo, 28 de fevereiro de 2016

O PLANO - MARCELO MADUREIRA



O PLANO
O Plano sempre foi um só. E só um. O Plano era ficar no Poder. Ocupar o Poder em todos os seus espaços, em cada cantinho, em cada fresta, onde existisse um centavo de dinheiro público e uma molécula de Poder para se apropriar. Este é O Plano.
http://veja.abril.com.br/blog/marcelo-madureira/opiniao/o-plano/

O Plano não era acabar com a miséria. O Plano não era diminuir as desigualdades. O Plano não era fazer da Justiça igual para todos uma instituição nacional. O Plano não era melhorar a Saúde, tampouco a Educação. O Plano não era melhorar a vida dos mais pobres. O Plano não era dar mais segurança ao cidadão e sua família. O Plano não era gerar riqueza, trabalho e renda. O Plano não era contemplar o mérito e o esforço de cada um. O Plano, também, não era pensar no futuro das próximas gerações. O Plano não era tornar o Brasil um lugar melhor para se viver. Não, O Plano não era esse, nunca foi nem nunca será.

O Plano sempre foi um só. E só um. O Plano era ficar no Poder. Ocupar o Poder em todos os seus espaços, em cada cantinho, em cada fresta, onde existisse um centavo de dinheiro público e uma molécula de Poder para se apropriar. Este é O Plano.

Mas para quê? Qual o propósito dO Plano? É aí que está o mais surpreendente, o mais inacreditável, o mais absurdo e, ao mesmo tempo, o mais singelo. Manter o Poder para continuar a usufruir. Usufruir dos palácios, das mordomias, dos jatinhos e helicópteros à disposição.

Empanturrar-se nos banquetes untuosos, curtir os fins de semana exclusivos com as putas gostosonas, aproveitar dos favores e facilidades dos milionários amigos do Poder. E, o mais importante: acumular o seu reparte do dinheiro fácil das negociatas, a salvo em Paraísos Fiscais.

O Plano era cultivar a vaidade, o cinismo e superar velhos recalques. Curtir os privilégios exclusivos dos poderosos, os salamaleques, a liturgia dos cargos e se render à bajulação dos áulicos. Era só isso, nada mais do que isso. E tudo isso.

O Plano, no fundo e no raso, se resume em um tríplex no Guarujá e um sítio em Atibaia, muito simples. O Plano é muito singelo, quase ingênuo.

Que fique bem claro que as “conquistas do Povo Brasileiro nos governos do PT”, pelas quais eles vivem batendo no peito e se jactando, se revelam “tigres de papel”. Uma miragem. A vida do brasileiro, pobre ou miserável, no final das contas, não melhorou coisíssima nenhuma. É tudo uma ilusão de um carnaval que já dura 13 anos. São aparas, rebotalhos, cortinas de fumaça, para milhões que experimentaram uma súbita e falsa riqueza que não se sustenta, pois “a conta não fecha”. Pior: quebrado o país, despencam de suas “nuvens de ilusão” para uma vida ainda mais indigente do que tinham antes. Afinal, O Plano não aproveitou os anos de economia organizada, de bonança internacional, de preços de commodities elevadas.

Poderíamos ter dado um salto incrível em Saúde, Educação, Infraestrutura e Produtividade. Mas não, isso tudo não faz parte dO Plano. Afinal, para O Plano, o conhecimento, o esforço e o estudo não são valores.

Valor para O Plano é como ter mais com menos. O plano é a Lei de Murici: cada um cuida de si.

Para cumprir O Plano vale tudo. E mais um pouco. Vale enganar os pobres, cooptar (comprar) intelectuais, artistas, acadêmicos, empresários. E sobretudo mentir, mentir muito, mentir sempre. E ficou todo mundo quieto, pois, afinal, dO Plano sempre sobra algum “cascalho”.

Para cumprir O Plano quebrou-se o Estado, as empresas públicas, o BNDES, a Petrobras, a Caixa Econômica, o Banco do Brasil, os Correios, os Fundos de Pensão e o que mais aparecer pela frente. Planejamento? Gestão? Competência? Para que se não está nO Plano?

O Plano é a Zika.

E O Plano mamou tanto, sugou tanto, exauriu tanto, que mixou. Acabou o combustível.

E quem vai pagar a conta?

Adivinha.

E tenho dito.
 
****
 
O plano é tirar de um lado, o nosso, e passar para outro, o deles. Não basta enriquecer a nomenklatura, e preciso, é imperioso empobrecer o povo, enfraquecer o povo, zerar todas as suas chances de reação.
 
*
ELES PRECISAM EMPOBRECER VOCÊ - É ESTRATÉGIA - HEITOR DE PAOLA
https://youtu.be/yfM59GklKxA
*
Abaixo a malícia: só quem confia venceEntrevista com ALAIN PEYREFITTE
 *
A ÉTICA DA REDISTRIBUIÇÃO
http://pt.slideshare.net/rochamendess82/a-etica-da-redistribuicao-bertrand-de-jouvenel


Nenhum comentário:

Postar um comentário