CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

GOOGLE É POLÍTICO - CENSURA POLÍTICA DO GOOGLE, FACEBOOK E TWITTER AGORA É OFICIAL

Nós fizemos deles um monopólio, e agora eles se confessam o mal que sempre foram: dois pesos e duas medidas descaradas contra nós, a maioria.
Isso é a revolução. E parte de seu modus operandi maquiavélico é culpar a vítima. Neste caso dizem que conservadores se aliaram à Rússia, usaram robots e outros subterfúgios para multiplicar o alcance de seus posts. O que não seria mais que legítima defesa. 




Gente, a democracia precisa da verdade para sobreviver, mas o socialismo não. Ao contrário! Fraude, mentira, censura, manipulação não só favorecem o socialismo, mas constituem o socialismo. (A verdade é um preconceito burguês, como disse Lenin.) Reconhecer sua natureza é se deparar com o mal em metástase que só vai parar quando for impedido. 

CENSURA OFICIAL DO GOOGLE, FACEBOOK E TWITTER

Google, Facebook e Twitter deixam de ser plataformas de liberdade de expressão e passam a adotar censura de acordo com documento do Google 

O documento diz que as empresas atenderam os pedidos de usuários, governos e anunciantes que exigem maior censura

Por Petr Svab

Grandes plataformas on-line incluindo Google, YouTube, Facebook e Twitter, mudaram seus princípios que anteriormente eram focados na proteção da  liberdade de expressão  “para a censura e moderação”, de acordo com um documento de pesquisa do Google que vazou para a Breitbart.

O documento, intitulado “The Good Censor”, argumenta que as plataformas se fixaram entre duas posições incompatíveis: “Criar mercados de ideias não mediados” e “criar espaços bem ordenados para segurança e civilidade”.

Embora as plataformas já tivessem ficado do lado da primeira posição anteriormente, elas agora mudaram seus descritores que eram “neutro”, “agregador” e “plataforma” para “politizado”, “editor” e “publicador”. No entanto, as empresas resistiram à designação de “editor” porque isso as tornaria legalmente responsáveis ​​pelo conteúdo enviado pelo usuário.

O documento diz que as empresas atenderam os pedidos de usuários, governos e anunciantes que exigem maior censura.

Liberdade de expressão como princípio “utópico”?

O documento pinta os usuários da internet como um grupo que geralmente se comporta mal e exige mais censura e controle do governo. Embora possa ser que os usuários mal-comportados não sejam agrupados com aqueles que exigem censura, o documento não faz essa distinção. O documento reconhece que há também um grupo que não concorda com a censura mas usa apenas as expressões de “tweeters controversos” e membros da “extrema direita” como exemplos. Apoiantes bem comportados da  liberdade de expressão com opiniões moderadas parecem ausentes da análise.

Em vez disso, os pesquisadores retratam a ideia de princípios da liberdade de expressão on-line como “utópicos”, dizendo que a liberdade de expressão “se torna uma arma social, econômica e política” nas mãos de “bots”, trolls e “usuários sem rosto”.

Duas maneiras de agir

As empresas de tecnologia parecem estar se afastando do objetivo de facilitar um ambiente para a livre troca de ideias, em troca de um ambiente considerado “seguro”.

“Precisamos continuar a melhorar nosso serviço para que todos se sintam seguros participando da conversa pública, seja falando ou simplesmente ouvindo”, disse Jack Dorsey, CEO do Twitter, em seu depoimento escrito no no congresso do dia 5 de setembro.

A liberdade de expressão, por outro lado, exige que as pessoas estejam dispostas a suportar ofensas e desconforto, em troca de um discurso aberto e honesto.

“O único princípio que posso imaginar funcionando é o de que… ‘dano’ seja interpretado como lesão física ou comercial, mas que exclua ofensa pessoal, religiosa ou ideológica”, escreveu Jason Pontin, ex-editor-chefe e editor do MIT Technology Review em um ensaio de 2013  sobre liberdade de expressão na internet.

Plataformas on-line parecem estar buscando o tipo de credibilidade que os pontos de venda possuem.

“Precisamos garantir que as pessoas possam confiar na credibilidade da conversa e de seus participantes”, disse Dorsey.

O documento também observou que os usuários têm “problemas de confiança” com plataformas digitais “implicadas na disseminação de ‘notícias falsas’”.

No entanto, as plataformas on-line lucram com o conteúdo gratuito enviado pelo usuário que nunca teve a intenção de depender dela ou de ser investigado da mesma maneira que a mídia tradicional.

Se as empresas adotarem o processo editorial que aumenta a credibilidade da mídia tradicional, elas provavelmente perderão as proteções nos termos da Seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações, que fornece ampla imunidade legal em relação ao conteúdo postado pelos usuários das plataformas. De algum modo, as empresas já começaram a agir.

O Twitter está suprimindo os resultados de pesquisa para conteúdo que considera “de baixa qualidade”.

O YouTube e o Google News estão discriminando a favor dos veículos de notícias selecionados que eles consideram mais “autoritários”, dos quais a maioria é de esquerda.

Exija civilidade, ofereça transparência

O documento do Google recomenda que a empresa seja aberta sobre o quanto censura e que informe os usuários quando eles mudam para menos ou mais censura.

“Deslocar cega ou silenciosamente em uma direção ou outra incita a fúria dos usuários com razão”, afirma.

Ele recomenda que o Google “evite tomar partido” e reforce a censura, independentemente da política – uma posição que os gigantes da tecnologia já alegam ter adotado mas que dificilmente é colocada em prática.

O documento também recomenda policiar o “tom”, em vez do conteúdo. “As pessoas estão pedindo para você supervisionar espaços seguros que ainda estimulam o debate”, afirma.

No entanto, ele não aborda situações em que as pessoas expressam educadamente pontos de vista que os outros acham ofensivos e desconfortáveis.

O documento também sugere que o Google explique melhor o uso da censura e que seja mais sensível às reclamações das pessoas. Além disso, o documento argumenta que o Google deveria explicar como quer que as pessoas se comportem.

Facebook, Twitter e Google “não fizeram o que qualquer outra empresa de hospitalidade faz quando diz: ‘Nós somos esse tipo de lugar, esse é o tipo de discurso que gostaríamos de ver aqui e você será parte de uma comunidade quando se juntar a nós. Esperamos que você goste e que torne isso agradável para as outras pessoas também. Aqui estão algumas maneiras que você pode fazer isso”, o documento cita a fala de Pontin.

O documento reconhece, no entanto, que essas poucas empresas controlam a maioria das conversas online. Ao definir o tom das conversas em suas plataformas, eles irão configurar uma grande faixa da internet por padrão.

Finalmente, o documento recomenda que o Google sinalize conteúdo controverso, em vez de censurá-lo.

“As pessoas estão pedindo ferramentas de capacitação que as ajudem a identificar problemas e conteúdo contenciosos em vez de plataformas que controlem conversas”, afirmou.

Não está claro se o Google está disposto a aceitar as recomendações pois a empresa não respondeu a um pedido de comentário.

Uma “fonte oficial do Google” disse à Breitbart que o documento deveria ser considerado pesquisa interna e não uma posição oficial da empresa.

https://www.epochtimes.com.br/google-facebook-e-twitter-deixam-de-ser-plataformas-de-liberdade-de-expressao-e-passam-a-adotar-censura-de-acordo-com-documento-do-google/

*

Os relatórios de Cuba observaram que o centro recebeu o uso prioritário dos funcionários e estagiários do Ministério do Interior (MININT). O MININT é o lar dos serviços de inteligência de Castro. Assim, o centro Google + Kcho Mor tornou-se um playground para os espiões de Cuba e futuros guerreiros cibernéticos. Além disso, depois de passar por várias verificações de segurança, quando os cubanos comuns finalmente entram no centro, eles são tratados com acesso on-line censurado. Webpages como Cubaencuentro , Revolico e 14ymedio permanecem bloqueados. Assim, o Google tornou-se oficialmente uma extensão dos censores de Cuba. Isso levou a uma coalizão de organizações independentes da sociedade civil cubana reunida em Porto Rico em 2016 para condenar o Google por estar ao lado de seu opressor.
https://cubanexilequarter.blogspot.com/2019/05/deja-vu-tech-firms-building-perfect.html

A direita depende da verdade, a esquerda depende da censura.

Engenheiros do Facebook compartilham estratégias para suprimir argumentos de direita, conforme documentos vazados
Facebook enfrenta há muito tempo acusações de parcialidade esquerdista, ressaltadas pelas tendências esmagadoramente esquerdistas de sua equipe
Os engenheiros do Facebook propuseram medidas para suprimir o conteúdo na plataforma que tenta convencer as pessoas a mudar seus pontos de vista para longe da esquerda, como revelado por fotografias de documentos internos e mensagens obtidas pelo Projeto Veritas. As fotos mostram que várias páginas proeminentes de destaque no Facebook foram marcadas com código que parece ter prejudicado as páginas.
O Facebook enfrenta há muito tempo acusações de parcialidade esquerdista, ressaltadas pelas tendências esmagadoramente esquerdistas de sua equipe. Embora a empresa tenha defendido que os vieses pessoais não se infiltram em seu policiamento de conteúdo, os documentos mostram os engenheiros conflitando repetidamente argumentos de direita, alguns talvez grosseiramente apresentados, com “discurso de ódio” ou “trollagem”.
Um dos engenheiros chegou a ponderar que o Facebook precisa suprimir não apenas o discurso de ódio, mas também “conteúdo próximo ao perímetro do discurso de ódio”, mesmo que o Facebook tenha reconhecido que a empresa ainda se esforça para definir o que é discurso de ódio.
https://www.epochtimes.com.br/engenheiros-facebook-compartilham-estrategias-para-suprimir-argumentos-de-direita-conforme-documentos-vazados/

*
GRR
Facebook, Twitter e Google unidos contra o ‘discurso de ódio’
Facebook, Google e Twitter estão unidos com a promessa de ajudar a limitar a influência da internet na disseminação do “discurso de ódio” e “incitação à violência”.
https://renovamidia.com.br/facebook-twitter-e-google-unidos-contra-o-discurso-de-odio/

*
https://www.epochtimes.com.br/tag/discurso-de-odio/
 

*
A CENSURA POLÍTICA DA FOLHA DE SÃO PAULO
Em artigo, editor da Folha admite que jornal é de esquerda e militou pró-Haddad: 
Em artigo publicado no final de 2017, o editor-executivo do jornal “Folha de São Paulo”, Sérgio Dávila, admitiu que o jornal é formado majoritariamente pela “elite de esquerda” e que seus jornalistas militaram a favor de Fernando Haddad, ex-prefeito da cidade de São Paulo e atual candidato do PT à presidência da República. 

 Por causa dessas características, encontrou terreno fértil nas Redações a agenda ‘São Paulo, Nova Amsterdã’ de Fernando Haddad. Esta teve no biciclecentrismo das ciclofaixas e ciclovias, na valorização do centro pela via da cultura alternativa, na diminuição da velocidade máxima das ruas e avenidas, no pagamento de salário a usuários de crack como tentativa de recuperação e na abertura da Paulista para os pedestres aos domingos suas bandeiras mais visíveis”.

O editor também comparou a cobertura do jornal dos seis primeiros meses de gestão do petista Fernando Haddad com a cobertura de igual período da administração do tucano João Doria, mostrando que o jornal foi tendencioso a favor do ex-prefeito e atual candidato à presidência da República pelo PT: “Em seu semestre inicial, o petista teve 619 menções no jornal. Delas, 443 podem ser consideradas de efeito neutro (72%), 83 de efeito positivo (13%) e 93 (15%) de efeito negativo. O tucano, por sua vez, teve 1.027 menções em seus 180 dias inaugurais, das quais 683 (67%) neutras, 54 (5%) positivas e 290 (28%) negativas. (…) Impressiona como os percentuais de menções negativas e positivas se invertem: a proporção de textos de leitura negativa em relação ao tucano (28%) é quase o dobro da do petista (15%), enquanto a proporção de textos de leitura positiva em relação ao petista (13%) é quase o triplo da do tucano (5%)“.

Por fim, o editor-executivo da Folha admitiu que a agenda de Haddad encantou a redação do jornal tomada de esquerdistas, mas foi responsável pela derrota do petista em 2016 no primeiro turno, quando tentou a reeleição em São Paulo: “A ironia é que a agenda que conquistou para o prefeito a simpatia do reportariado acabou custando a ele os votos da periferia e da franja do centro expandido de São Paulo, sem os quais não se vencem eleições nem se chega ao segundo turno”.
http://www.ilisp.org/noticias/em-artigo-editor-da-folha-admite-que-jornal-e-de-esquerda-e-militou-pro-haddad/

*
 O problema não é ter um lado, é ocultar isso,  fingir ser neutro e usar meias verdades para manipular a opinião pública. Mas isso é o socialismo. Socialismo não acredita em verdade, só em narrativas. As narrativas que se impõem, vitoriosas, são a verdade. Poder é o critério máximo e define tudo. Resultado: Totalitarismo brutal, incontrolável. 

*
Olavo de Carvalho - Some-se a tudo isso um quinto fator, de dimensões internacionais: o tremendo desenvolvimento, nas últimas décadas, das técnicas de engenharia social e da sua aplicação pelos meios de comunicação.
Quem pode impedir que empresas mutuamente solidárias, libertas até mesmo do temor ao público, tendo a seu serviço uma massa bem adestrada de “transformadores do mundo” e um conjunto de instrumentos de ação tão discretos quanto eficientes, mandem às favas todo senso objetivo das proporções e se empenhem em criar uma “segunda realidade”, uma nova ordem dos fatores, totalmente inventada, legitimando de antemão qualquer nova mentira que lhes ocorra distribuir amanhã ou depois?
http://wpress.olavodecarvalho.org/a-briga-que-ninguem-quer-comprar/
 
*
A EXTREMA DIREITA E A VERDADE RADICAL
Diz a esquerda revolucionária: 2+2= 5
A "extrema" direita responde: 2+2= 4
Aí vem a esquerda "moderada" e conclui: Gente, não seja radical, 2+2= 4,5.
A verdade é radical porque não é uma média. 

OLAVO DE CARVALHO - "A imparcialidade do jornalismo brasileiro, especialmente da Fôia, consiste em manter uma severa e neutra equidistância entre a verdade e a mentira." 

OLAVODECARVALHO · "O Brasil é um país onde, se um sujeito estupra e mata uma menininha de três anos, chamá-lo de assassino e estuprador é uma violência intolerável."

Cristian Derosa  · Não existe direita, conservadorismo. Existe o senso normal das coisas que é chamado por estes nomes pela esquerda, o que para ela soa pejorativo. Quando não funciona, apelam para o "fascista".


DILMA NEGOCIOU A CENSURA POLITICAMENTE CORRETA COM GOOGLE, FACEBOOK E TWITTER EM 2015


CENSURA POLÍTICA DO GOOGLE, FACEBOOK E TWITTER AGORA É OFICIAL  
https://conspiratio3.blogspot.com/2018/10/atencao-censura-oficial-do-google.html 

A tal diretora de Segurança do Facebook foi assessora de Gleisi Hoffmann na Casa Civil, e isto é um escândalo sem precedentes
http://www.oreacionario.blog.br/2018/08/a-tal-diretora-de-seguranca-do-facebook.html

O Haddad precisa de psiquiatra sabe porque ? https://www.facebook.com/fabio.pinheiro.7587/posts/2186362101622649

GARRAS INVISÍVEIS - OLAVO DE CARVALHO
(...)
A partir de 2014, porém, quando as verbas de propaganda concedidas pelo governo federal ao Facebook cresceram 118 por cento em comparação com o ano anterior (leia aqui), tudo mudou. Minha página passou a ser bloqueada a todo momento, sob as alegações mais levianas e despropositadas, enquanto as páginas que me acusavam até de assassinato eram, quando denunciadas pelos meus seguidores, abençoadas pelo Facebook com a garantia de que “não violavam as normas da comunidade”. Normas que, só posso concluir, lhes asseguravam o direito à prática impune do crime de calúnia, fazendo portanto do próprio Facebook uma organização criminosa, como aliás acontece com toda empresa que vai para a cama com o PT.
Agora, nas semanas em que vão ocorrer novas megamanifestações de rua contra o descalabro petista, veio um novo bloqueio, desta vez por trinta dias, de modo que eu não possa me comunicar com o público durante os protestos.
Só um mentecapto veria aí uma mera coincidência, pois o pedido de bloqueio partiu justamente da mesma página do MAV (Núcleo de Militância Virtual do PT), que me faz acusações caluniosas sob a proteção do Facebook (v. ilustração).
Como eu passasse a postar mensagens pela página da minha esposa, esta foi bloqueada também.
Quem são os agentes por trás dessa operação? Quem são os mavistas que a executam? Quem, na alta direção do Facebook, decidiu apoiar tão descaradamente crimes de calúnia e ainda perseguir a vítima?
Abrigados por trás de uma confortável invisibilidade, fazendo em pedaços a Constituição brasileira que proíbe o anonimato, os deusinhos do MAV e do Facebook infernizam a vida do cidadão e divertem-se a valer como larvas em festa no fundo do seu esgoto olímpico. 

http://www.olavodecarvalho.org/garras-invisiveis/ 

 

.

Socialismo é um mal e não vai evoluir para algo melhor, mais humano, mais razoável porque contém dentro de si o mecanismo repressivo para impedir sua própria correção. Ele tende a se perpetuar como também a se expandir, a menos que uma força externa o impeça.


"O efeito da ideologia marxista é precisamente colocar o Estado comunista no caminho da dominação. Ninguém acredita que ele deveria dominar, muito menos aqueles que se desculpam por seus, "erros" e "desvios". Nem qualquer cidadão de um Estado comunista deseja aumentar seu poder de forma tão alarmante. Mas ninguém sabe como pará-lo, já que nenhuma razão para pará-lo pode ser proferida sem penalidade instantânea." Roger Scruton


"O que houve de mais destrutivo na propaganda nazista não foi a expressão daquelas horríveis opiniões, mas a supressão daquelas que as refutavam. Foi a falta da liberdade de expressão que fez com que as ideias nazistas fugissem do controle, livres dos argumentos que as exporiam ao ridículo."  Roger Scruton 

"O mínimo que pode ser dito é que não estamos negociando com um sistema de crenças sustentadas racionalmente. Como tento mostrar, as proposições importantes do pensamento de esquerda são precisamente aquelas que NÃO PODEM SER QUESTIONADAS. O marxismo-leninismo, por exemplo, reivindica que suas crenças fundamentais têm o estatuto de ciência, ainda que seja claro para qualquer observador neutro que essas crenças foram colocadas ALÉM da ciências, num reino de absoluta autoridade, que jamais poderá ser acessado pelos não iniciados." Roger Scruton
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário