CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

DIÁLOGO INTERAMERICANO, FORO DE SÃO PAULO, RENAN CALHEIROS E JORGE VIANA


Tem um movimento "fora Renan", tem um movimento "fora Temer". O que acontece se sai o Renan e sai o Temer? Quem vai ocupar a presidência? Um predador petista DE NOVO???
Marina Silva, da REDE, questionou o STF acerca do afastamento de Renan Calheiros. Dias depois, o mesmo, que já deveria ter sido afastado há muito tempo, teve seu lugar ocupado pelo petista Jorge Viana. Tanto Marina quanto Jorge Viana integram o Diálogo Interamericano, ao lado de FHC, este também pertencente ao Clube de Roma, assim como o senador Cristovam Buarque.

Fruto dos planos e atividades dos Rockefeller e seus asseclas, o Diálogo Interamericano (DIA) é uma das organizações que fazem parte da decomposição hierárquica globalista, e seu objetivo é o de aglutinar lideranças globais de modo a conduzir as políticas na América Latina e no Caribe. Possuidor uma linha de diálogo entre China e América Latina, também goza de imenso poder dentro de várias estruturas norte-americanas.

O Diálogo Interamericano foi o maior patrocinador do Foro de São Paulo (FSP), e essa cumplicidade criminosa têm como objetivo a criação um imenso bloco regido por um esquema totalitário e cujo comando central partirá de um parlamento, de modo a sufocar as soberanias nacionais, o que é basicamente uma versão bananeira da União Europeia.

O bloco pretendido pelo Foro já existe e se chama UNASUL (União de Nações Sul-Americanas), que é justamente a idealização do Bloco 06 arquitetado pelo Clube de Roma (CdR), think-tank globalista que na década de 70 elaborou uma divisão mundial composta por dez blocos, cada um com seu parlamento, e cada parlamento dialogando diretamente com um futuro governo mundial.

Entre os objetivos acordados entre o DIA e o FSP, meros satélites de organizações maiores e mais poderosas, cuja arbitragem mundial visível é a ONU, estão:

- Rearranjo dos movimentos narcoguerrilheiros, isto é, "acordos de paz" e "cessar fogo", movendo suas cúpulas para a política. É exatamente isso que Juan Manuel Santos, atual presidente da Colômbia, está fazendo com as FARC. Santos é membro do DIA.

- Separatismo étnico como ferramenta de divisão social e territorial (dividir para conquistar). No Brasil, isso foi regulamentado principalmente com o PNDH1 durante o desgoverno FHC e só se agravou durante os dois desgovernos petistas.

- Indigenismo e evocação da ancestralidade, baseada em laudos antropológicos muitas vezes falsificados e que são utilizados como pretexto para roubar terras. As terras, ricas em recursos hídricos e minerais, não ficam sob a tutela dos ditos povos originários (índios), mas das ONGs, é claro.

- Invasão de organizações não-governamentais como forma de governo paralelo. Em 2010, o número de ONGs no Brasil era de 290 mil! Como se governa um país possuidor de tantos mecanismos de desestabilização?

- Legalização das drogas, porque há muito foi acordado que a América Latina seria um dos maiores produtores mundiais, de modo que os efeitos colaterais do narcotráfico e da guerra química ficassem aqui, e não em países de primeiro mundo. A fusão da liderança do narcotráfico com a ala política resulta na regulamentação das drogas transformando o corpo estatal no maior dos traficantes. Exemplo de cobaia é o Uruguai e o experimento financiado por metacapitalistas globalistas como o sr. Soros.

- Soberania nacional limitada: em 1992, os então diretores do DIA, que também integravam a Ford Foundation e o Observatório de Direitos Humanos na América Latina, apontaram a Somália (!!!) como exemplo positivo de país que abdicou de sua soberania nacional em prol de intervenções estrangeiras.

- DESARMAMENTO CIVIL, DESMILITARIZAÇÃO DAS POLÍCIAS E SUCATEAMENTO DAS FORÇAS ARMADAS, ambas apontadas como as maiores "ameaças" ao projeto de escravização da América Latina.

A desmilitarização das polícias e consequente quebra da espinha dorsal das Forças Armadas está contida na PEC 51, sendo o objetivo final a entrega do controle das polícias nas mãos do governo federal, tirando-o das mãos dos governos estaduais.

Na impossibilidade temporária de desmilitarizar as polícias, os próceres globalistas passaram a focar na destruição da imagem das mesmas, com aporte financeiro vindo de fora, como o recentemente vazado pela Wikileaks e que desnuda a ligação de George Soros com coletivos amestrados pró-desmilitarização.

Não satisfeitos, às polícias são empurrados armamentos com defeitos criminosos e equipamentos muitas vezes obsoletos ou de validade vencida, enquanto os exércitos do crime possuem verdadeiros arsenais de guerra e proteção incondicional de organizações como a dos Direitos Humanos.

Se a infiltração institucional e as manobras que apenas trocam peças de um mesmo jogo de um lugar ainda não estão cristalinas ao leitor, faz-se necessário evocar um fato recente: Marina Silva, da REDE, questionou o STF acerca do afastamento de Renan Calheiros. Dias depois, o mesmo, que já deveria ter sido afastado há muito tempo, teve seu lugar ocupado pelo petista Jorge Viana. Tanto Marina Silva quanto Jorge Viana integram o Diálogo Interamericano, ao lado de FHC, este também pertencente ao Clube de Roma, assim como o senador Cristovam Buarque.

Se o Foro de São Paulo representa o marxismo old school, o DIA, o CdR e demais organizações representam um pacote ainda mais perigoso: o do totalitarismo gradual e reformista, ocultado pela fachada ambientalista e pseudo-ecumênica da Nova Era. O Foro ficou quase duas décadas sem ser exposto, e só o foi graças a atitudes heroicas como a de José Graça Wagner e contatos como Olavo de Carvalho, Heitor de Paola, Graça Salgueiro e tantos outros.

A pergunta que resta a você, leitor, é a seguinte: por quantas décadas deixará a nata globalista agir silenciosamente sem esmiuçar a quem e a o que seus lacaios, que se servem da "representação popular", realmente servem?

(Imagem: Do blog de Ricardo Roveran.)

Links e leituras amparativas: Quem São os Brasileiros no Diálogo Interamericano https://roveran.wordpress.com/2016/12/03/quem-sao-os-brasileiros-do-dialogo-interamericano/

Inter-American Dialogue: sponsors for São Paulo Forum in Washington http://www.larouchepub.com/other/1995/2245_iad.html

The São Paulo Forum, Castro's shocktroops http://www.larouchepub.com/other/1995/2245_sao_paulo_forum.html

Números e Dados de Fundações e Associações Privadas Sem Fins Lucrativos no Brasil
http://www.abong.org.br/ongs.php?id=18

União de Nações Sul-Americanas http://www.itamaraty.gov.br/politica-externa/integracao-regional/688-uniao-de-nacoes-sul-almericanas?lang=pt-BR

Diálogo Interamericano
http://www.thedialogue.org/about/

Clube de Roma
http://www.clubofrome.org

A História Secreta do Ocidente
http://www.pensamento-cultrix.com.br/historiasecretadoocidentea,product,978-85-316-1103-2,17.aspx

A Corporação http://www.pensamento-cultrix.com.br/corporacaoa,product,978-85-316-1045-5,98.aspx

O Império Ecológico ou a Subversão da Ecologia pelo Globalismo http://videeditorial.com.br/o-imperio-ecologico

O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial http://loja.observatoriolatino.com/index.php?route=product%2Fproduct&product_id=51

BLOQUEANDO O NOVO EIXO DO MAL - CONSTANTINE MENGES TINHA RAZÃO
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2014/03/bloqueando-o-novo-eixo-do-mal.html
 
O Foro de São Paulo – A mais Perigosa organização Revolucionária das Américas
http://loja.observatoriolatino.com/index.php?route=product/product&product_id=54

MÍDIA SEM MÁSCARA
http://www.midiasemmascara.org/artigos/globalismo/16854-2016-12-06-23-05-56.html

José Dirceu: “Quem rompeu o pacto (de Princeton?) que assuma as consequências”
http://radiovox.org/2017/05/20/jose-dirceu-quem-rompeu-o-pacto-de-princeton-que-assuma-as-consequencias/





OLAVO DE CARVALHO
Começo por chamar a atenção dos leitores para a seguinte nota publicada na coluna de Mônica Bérgamo (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0410200609.htm )
“De um dos parlamentares mais bem votados do PT em jantar com empresários, anteontem: ‘Vamos ser claros. Existia um acordo entre nós [PT] e o PSDB: o próximo governo era nosso, do Lula. O de 2010 seria do José Serra ou do Aécio Neves, sem problemas. Com a vitória do Alckmin, esse acordo será rompido. E o Alckmin vai ter derrotado o Serra, o Aécio, o Fernando Henrique Cardoso, o Lula, todo mundo.’ A platéia ouvia, algo perplexa. O parlamentar continuou: ‘O Alckmin, se eleito, não vai governar. O PT não vai dar trégua no Congresso. A CUT, o MST, os movimentos sociais, não vão dar trégua nas ruas.’ A perplexidade só aumentou. No mesmo jantar foi dito que o PT está preparado para uma má notícia nas próximas pesquisas: a de que Alckmin tenha empatado ou até superado o presidente Lula nas intenções de votos. ‘Mas o PT vai para as ruas’, disse o parlamentar.”
Se a informação é veraz (e confesso que sinto dificuldade em contestá-la), ela significa que:
1) Os dois partidos fingem enfrentar-se em público, quando em segredo já dividiram o bolo do poder. Isso seria a maior fraude eleitoral de todos os tempos.
2) O acordo criminoso tem autoridade superior à decisão do eleitorado, que pode ser revogada à força caso venha a se desviar do que ele determina. Isso seria mais que uma ameaça de golpe. Seria a confissão de que o golpe já está armado.
A informação pode parecer chocante demais para ser verdadeira, mas, no país do Mensalão, do dinheiro na cueca, dos 50 mil homicídios por ano, das testemunhas judiciais assassinadas em série e dos narcotraficantes recebidos como hóspedes oficiais de um governador de Estado, a diferença entre o chocante e o banal se tornou um detalhe filológico sem maior interesse.
A notícia, aliás, tem antecedentes, e bastante numerosos.
MAIS EM:
http://www.olavodecarvalho.org/semana/061009dc.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário