CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

NOMENKLATURA DE BUROCRATAS - A NOVA CLASSE - MILOVAN DJILAS



A VERDADEIRA META COMUNISTA: A NOVA CLASSE
(Do livro de Heitor de Paola, "O Eixo do Mal Latino-Americano")

"Como bem o disse Milovan Djilas (The New Class): "Em contraste com as antigas revoluções, a comunista, feita em nome da extinção das classes, resultou na mais completa autoridade de uma nova e única classe". Alegando construir "um mundo melhor possível", uma sociedade nova, ideal, mais justa, "construíram-na para si mesmos do melhor modo que puderam". A Nova Classe "se interessa pelo proletariado, pelos pobres apenas na medida em que eles lhes são necessários para o aumento da produção ( ... ) o monopólio que, em nome da classe trabalhadora, se estabelece sobre toda a sociedade, é exercido principalmente sobre esta mesma classe trabalhadora". Djilas, que percorreu todo o caminho da carreira comunista, chegando ao Comitê Central iugoslavo, denunciou já em 1957 que a Nova Classe se apropria de todos os bens pela nacionalização e estatização, tornando-se uma classe exploradora. Mikhail Sergeyevitch Voslensky ("A Nomenklatura"), que também percorreu toda a carreira dentro da URSS, usa o termo Nomenklatura para esta nova classe e complementa mostrando que a propriedade socialista é a propriedade coletiva da Nomenklatura, pois "sua adesão fingida ao coletivismo obrigou-a a adotar a forma coletiva de propriedade". Já Bruno Rizzi (The Bureaucratization of the World) citado por Voslensky, mostrava em 1939, dentro de ponto de vista ainda marxista, que "na sociedade soviética os exploradores não se apropriam da mais-valia diretamente, como o faz o capitalista quando embolsa os dividendos de sua empresa. Fazem-no indiretamente através do Estado, que embolsa a mais-valia nacional e a Distribui, então, aos seus funcionários". Estes funcionários constituem a Nomenklatura, em russo, a lista dos postos mais importantes cujas candidaturas são sempre por recomendação de algum órgão do Partido. (Será que isto lembra alguma coisa ao leitor, do que já está ocorrendo no Brasil?). Conclui Volenski: "A Nomenklatura é uma classe de exploradores e de privilegiados. Foi o poder que lhe permitiu ascender à riqueza e não a riqueza que lhes proporcionou o poder. A política da Nomenklatura consiste em assentar seu poder no plano interno e ampliá-lo ao mundo inteiro". Esta nova classe, que poderia ser chamada de nova casta, é a herdeira direta das antigas aristocracias e das monarquias absolutistas, às quais tentam substituir desde 1789, passando a ter maior sucesso a partir de 1917."

  



A NOVA CLASSE - MILOVAN DJILAS

Trotski percebeu que nos revoltosos profissionais pré-revolucionários estava a origem do futuro burocrata stalinista. O que ele não percebeu é que se formava uma nova classe de proprietários e exploradores. (...) É muito difícil, talvez impossível, definir os limites da nova classe e identificar seus membros. Pode-se dizer que ela é constituída daqueles que gozam de privilégios especiais e favoritismo econômico devido ao monopólio administrativo que detêm.

(...) Nas análises críticas dos sistemas comunistas, costuma-se considerar como sua característica fundamental o fato de que numa burocracia, organizada dentro de uma camada especial, governa todo o povo. É, geralmente, o que acontece. Uma análise mais detalhada, porém, mostrará que somente uma classe especial de burocratas que não desempenham cargos administrativos constitui o âmago da burocracia governante, ou da nova classe, formada na verdade por um partido ou uma burocracia política. Os demais funcionários são o aparato controlado pela nova classe, o qual pode ser inoperante e lento, mas tem de existir em toda sociedade socialista.

(...) Nos sistemas não-comunistas, os burocratas formam uma camada especial, mas não exercem a autoridade tal como os comunistas. (...) Tal como a define o direito romano, a propriedade é o uso, o gozo e o controle dos bens materiais. A burocracia política comunista usa, goza e dispõe da propriedade nacionalizada. A nova classe extrai seu poder, seus privilégios, ideologia e costumes de uma forma específica de propriedade, a coletiva, que ela administra e distribui em nome da nação e da sociedade.

(...) Sob constante pressão para ser primariamente e, quando necessário, exclusivamente um órgão de violência, o Estado comunista tem sido burocrático desde o início. Mantido pelo despostismo de um punhado de dominantes, o Estado comunista dispõe de um poder superior ao que outra organização estatal pode ter por meio de leis e regulamentos. Logo que se estabelece, o Estado comunista baixa tanto decretos que até advogados e juízes têm dificuldades de manejá-los. Tudo tem que ser regulamentado e confirmado com precisão, mesmo que disso se aufira pouco proveito.


.
 
 
 
O livro "A NOVA CLASSE",  de Milovan Djilas, tem uma passagem interessante no capítulo "Tirania do Espírito",  sobre a busca de uma IGUALDADE na visão de mundo e o controle insano da atividade do pensamento nas sociedades comunistas:

"Por outro lado, a discriminação ideológica nos sistemas comunistas tem a finalidade de proibir outras idéias e de impor as suas. São duas surpreendentes formas de tirania inacreditável, total. O pensamento é a mais criadora das forças: descobre o que é novo. O homem não pode viver nem produzir se não pensar e meditar. Mesmo que possam negá-lo, os comunistas são forçados a aceitar, na prática, esta verdade. Por isso, procuram tornar impossível o predomínio de outro pensamento que não seja o deles.  O homem pode renunciar a muitas coisas, mas tem necessidade de pensar e comunicar seus pensamentos. É um sofrimento profundo ser compelido a silenciar quando se tem necessidade de expressão. OBRIGAR O HOMEM A NÃO PENSAR, A EXPRESSAR PENSAMENTOS QUE NÃO SÃO OS SEUS, É A PIOR FORMA DE TIRANIA.  A limitação da liberdade de pensamento não constitui apenas um ataque a direitos sociais e políticos específicos, mas também ao próprio ser humano como tal." 
 "A proposição de que o marxismo é um método universal, proposição que os comunistas têm obrigação de defender, leva na prática a uma tirania em todos os campos de atividade intelectual”.  Milovan Djilas, in – “A Nova Classe”
 
***
 
MEIOS E FINS
  
*
A MERITOCRACIA AFASTA OS PSICOPATAS DO PODER? 
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/01/ou-se-tem-meritocracia-ou-se-tem.html

A PATOCRACIA E SUA IDEOLOGIA
"Os adeptos de tais idéias tendem a perder de vista o fato de que os meios utilizados, e não os somente fins, serão decisivos para o resultados de suas atividades. Sempre que buscam por métodos de ação excessivamente radicais, ainda convencidos de que estão servindo à sua idéia, eles não percebem que seu objetivo foi alterado. O princípio "os fins justificam os meios" abre a porta para um tipo de pessoa diferente, para a qual a grande idéia é útil para o propósito de libertá-la da pressão desconfortável proveniente dos costumes do homem normal. Toda grande ideologia, assim, é um perigo, principalmente para mentes pequenas. Contudo, todo grande movimento social, e sua respectiva ideologia, pode se tornar um hospedeiro sobre o qual alguma patocracia inicia sua vida parasitária." (PONEROLOGIA - ANDREW LOBACZEWSKI)


SOCIALISMO É A PROMESSA DE OBTER UM RESULTADO POR MEIOS QUE PRODUZEM O RESULTADO INVERSO
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/08/socialismo-e-promessa-de-obter-um.html

NAZISMO E COMUNISMO SÃO COLETIVISTAS, ESTATIZANTES E TOTALITÁRIOS POR NATUREZA
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/01/nazismo-e-comunismo-sao-coletivistas.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário