CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

ARIZONA WILDER REFUTA DAVID ICKE ( Arizona Wilder Refutes David Icke Interview )

Não consegui completar o post do Conspiratio 1 no Sapo, mas aqui pretendo ir até o fim. O Sapo frequentemente rejeita fotos, vídeos, e agora foi a continuação do texto traduzido. Achei importante ter este depoimento da Arizona (mesmo com a possibilidade de ser uma espécie de contrainformação lançada para desacreditar seus testemunhos anteriores), porque existem poucos publicados e as vezes eles  somem.

ARIZONA WILDER REFUTA DAVID ICKE?


Seria um fake? Estaria ela sendo obrigada a fazer ou aceitar isto? (tradução google abaixo)

Arizona Wilder Refutes David Icke Interview (continued)
by JENNIFER KEALEY
http://www.conspiracyplanet.com/channel.cfm?channelid=36&contentid=10261&page=2
My struggles to overcome what perpetrations and abuses were heaped upon me affected my children as well.
I knew others who had been ritually abused from birth; brought into this world for a purpose not of their own choosing. They struggled too, and many of them have not been able to mentally and emotionally overcome their past. Some of those that I knew were permanently physically affected. A few took their own life because they could not see forward to their healing. Many were simply labeled as “mentally ill”. Again, “The System” is there to receive them and swallow them up, and make them “comfortably numb” and convince them that they did not see, hear, or experience what they in fact, did. Further, they have perpetuated the false idea that one can overcome the situation they are in simply by turning to the very system responsible for the abuse, and as long as the victim assumes the responsibility for their situation, be accepted back into the fold and rebury the perpetrations and abuse.
This past year has been a pivotal point in my life as I began to reassess everything that I had thus far accepted as truth about my life, even though it did not completely make sense to me up to that time. Since my abrupt departure from southern California began and I discovered information that caused me to question the validity of what I had previously accepted for lack of a better explanation due to missing pieces, the truth began to fall into place, and the lies that I had not questioned before began to wobble and fall, one upon the other like dominos, as the truth about my life was exposed. It seemed that one lie about my life was dependent upon believing another, and so on. It was only upon examining and analyzing all the known data (leaving room for future data to be uncovered) that the truth about my life began to unfold.
Therefore, I will now list what is known at this point by me, as well as the beliefs of investigators who have been investigating my situation on behalf of the Canadian Institute for Political Integrity, so we are all on the same page:
I was genetically planned and brought into this life and assigned to the Nagel family by Wilder Penfield, the much “applauded” and “respected” neurosurgeon based in Montreal at McGill University, who was known, along with his associate, Ewen Cameron to be involved in research on the brain for the purposes of mind control (known in the U.S. as MK Ultra) and using persons, including children as subjects without their knowledge or consent.
My life was a study and experiment in Wilder Penfield’s memory research on the brain. The condition of multiple personalities was purposely induced in me through repeated ritualistic trauma that included sexual abuse perpetrated upon me by my father and carried out through the ensuing years into my adulthood by others, who were of a military background, as well as being overseen by the Benedictine Monks (Viator) of Mt. Angel, Oregon. The purpose was to cover up the “symptoms” this research induced in me with the repeated programming techniques employed against my person. I was never asked if I wanted to be a part of this. I consider what has been done to me to be criminal acts.
From the time I was married, my mother was constantly telling me that I had had a “difficult and stressful” childhood. I was told that I awoke screaming in terror in the night many times as a child. I remember a recurring nightmare that awakened me on a constant basis, which many years later turned out to be about my father’s molestations of me. I remember being taken to the Dr., a pediatrician who wore a bow-tie and a gray lab coat while I was young. My mother and the Dr. would conference together in the next room, shutting the door and talking in low voices on numerous occasions throughout my childhood and teen years. She took me to see another specialist when I was nine years old, who did an EEG and put me on medication, which my mother stated did not have the desired effect on me, so she discontinued the visits to this Doctor. When I was in fourth grade my parents bought a piano, and started me on piano lessons. My mother began to tell me, after the birth of my son years later, that she believed I had been molested by a “babysitter’s boyfriend” when I was pre-kindergarten age. I never asked her about it, and wondered why she continued to bring it up to me. She also constantly told me what a “stressful childhood” I’d had, and that I had a “very poor self image”; hence the piano lessons. She transferred me from one fourth-grade class to another, and did the same to me when I was in sixth grade. I had to endure the ostracism of my peers for this. My mother told me when I was in fifth grade that she was considering holding me back a year. I remember bursting out crying and exclaiming, “But what have I done wrong?” My father, also a grade school teacher, would come home from a day of teaching and tower over me and scream at me because I could not do the math homework that I was given weekly. At these times I remember my hearing fading out, and then my vision would go dark at that point. Later I realized this was another part of me coming to the surface to deal with these situations with my father.
In 1989 when I first made a decision to seek answers to questions about my past, I told my parents of my decision over the phone. They made a special trip to see me and told me it would be a huge mistake to dig up the past; I was married now and had two beautiful children, they told me, and to let the past go. I told them that I could not, because for me it was not past. It was something I carried around daily, in the form of recurring episodes of depression. I wondered what it might be like not to be easily depressed. Further, I could not figure out why I should be depressed because I could not think of anything up until that time that would trigger the depression. What began to worry me was what my mother had been saying to me, and then thinking, “But it’s so much more than what she is saying…” I worried constantly for my children’s safety. I did not want to leave them with anyone. I had “flashes” of disturbing visual images that I could not make sense of at that time about my father and myself, and I was afraid to say anything to anyone because the very thought that something had happened between my father and myself was so abhorrent to me. I went on to get help from a psychiatrist who had a program that dealt with adult survivors of childhood sexual abuse. The psychiatrist had spoken on a radio program that I had heard about the use of Sodium Amytal to assist the subject to talk about repressed memories and all sessions were video and audio taped. Recently, I have discovered that Sodium Amytal had been a well researched subject at the Montreal Neurological Institute at McGill University in Montreal, Quebec since the 1940’s when it was first used by Dr. Jun Wada to presurgically evaluate where the language center and memory centers in each brain hemisphere were prior to surgery for cases of epilepsy when surgery to remove a section of the brain tissue was the last option to stop seizure activity. I now believe it was no accident or chance that I had Sodium Amytal Interviews, along with a BEAM study; the results of which mysteriously disappeared from the Dr.’s office. Not an accident either that a SPECT study was done at that time; often used in conjunction with Sodium Amytal induction as well for the purposes of mapping the areas of the brain, e.g. the hippocampus, that is involved with memory storage and retrieval of spatial and visual memory. I suggest that the surface appeal of the Amytal Interviews for me was not the purpose of my controllers who I now also believe sent me to this Dr. The purpose that was intended was for an evaluation of cues known only to them through intravenous induction of drugs (Sodium Amytal and Brevital) which they knew could be used to put some areas of the brain to sleep so that designated areas could then be evaluated by the visual and auditory responses engendered by questioning, along with a record of physiological responses recorded by the anesthesiologist/ anesthetist present to monitor the vital signs during the interview.
To those at this point who have heard that these interviews are not accurate, I spoke about many things in these interviews, not the least of which was a childhood incident that involved a girl and her sister about my age at the time, who were driven by their uncle to my home, where I would be picked up. We were all being taken to “rituals”. I was able to state the name of this girl, her sister, and two male cousins who sometimes seemed to be brought along, as well as her uncle. Five years after this interview, I actually met this girl, whom I did not recognize as an adult, at a support group for survivors of Ritual Abuse. We found that we had grown up within a very short distance from each other, and she had attended school in the same school district as me, as well as attending school where my mother taught classes in the same time period as the events described. She verified the details of what was recorded, including having those memories as well. She later listened to this portion of the tape and was amazed that all these details were recorded. During these interviews, I was not led or coached. There were many details that were given, however not any answers as to how all this started and more importantly, why. I state this because my own mother, in the past year told me the False Memory Syndrome Foundation has stated these interviews had been done to instill “false memories”. She and my father had joined FMSF many years ago after they hurriedly moved out of the state I lived in when my then husband repeated to my parents details of what he had heard in the taped interview. At this time I believe the FMSF was formed, among other reasons, to negate the theory of Wilder Penfield as well as others researching the evidence that ALL memory is recorded in the brain. I believe the real purpose of the work of FMSF is to provide a support structure of denial to perpetrators since they are all on the same team and then secondarily to negate this modality as being accurate to access repressed memories.
During that time and for the next fifteen years, my parents and my husband’s family stopped speaking to me. My family assisted my husband to obtain full physical and legal custody of my children. My mother even wrote a letter to the family court judge labeling me a “trouble-maker” and praising my by now ex-husband as the responsible, caring, and loving parent, and then both of my parents signed the letter. My husband had embarked upon a systematic program of mental, emotional and finally physical abuse of me; even battering me by grabbing my hair and banging my head into the wall repeatedly, while he held our daughter in his arms. He was made to look the qualified parent in the family court system, while I was made to appear mentally deranged and out of control. I had sought help for myself and for my children, who were showing signs and symptoms of having been involved in ritualistic abuse, later confirmed, per the observations of psychiatrists and therapists, who were also not allowed to testify in family court on their behalf. For attempting to assist my children, physical and legal custody were taken away from me and I was made to leave my home so that my then husband had the freedom to move his girlfriend in to act as their “mother”. I was placed on federal disability at my request in 1991, because the consequences of harassment induced included severe post traumatic stress disorder and depression. I used the ensuing years to recover memories and deal with resulting and constant harassment.
The “harassment” I am speaking about included being kidnapped on many occasions, drugged, the use of electroconvulsive shock while in restraints with resulting after-effects of confusion, temporary memory loss and recorded seizure activity, impregnated on three occasions by unknown and nonsexual, nonconsensual means, harassing phone calls at all hours, mysterious and frightening messages left for me on answering machines, knocking on the front door of places I was living at all hours of the night, most especially at 3 AM, DDT sprayed inside the apartment on the kitchen table and in the roommate’s room in one situation, being followed at various times and when least expected by plainly marked “G 41” military vans everywhere I went- sometimes with a man dressed in a Navy uniform stepping out and standing next to the vehicle and watching me as I ran errands, only to get back in his government van with government plates and continue this same exercise for the whole day, my car being rear-ended and totaled, being physically assaulted at work on a psychiatric unit by “ female patient”, who kicked me in the stomach so hard that it sent me into the wall and then screaming out at me in front of all the staff present, “ I will kill you when I get out of here; and if I don’t, Robert Caldwell will…he’s going to get you…”(This man was Naval Intelligence, per his business card). At another psychiatric unit in which I was working so that I could pay attorney fees for an upcoming custody dispute, I was called into the nurse manager’s office and it was stated to me that two patients had complained that I was going into their room at night during bed checks, and shining a flashlight in their eyes and stating to them that,“Satan is going to kill you unless you go back to the cult…” I was told that “administration” required that I be interviewed by one of their staff psychiatrists. I asserted my innocence and walked out. There were many incidents similar to the above stated occurrences.
I decided in 1999 that I wanted and needed to go back to work, because I had done as much work as could be done to recover memories and to come to terms with what had been done to me. Unfortunately, in 1998 the last time I was kidnapped and worked over i.e. given huge amounts of electric shock by unknown perpetrators, (which resulted in a hospitalization) I did not realize that I was being “prepared” i.e. programmed, for an interview with David Icke, a former sportscaster turned conspiracy publicist in order to perpetrate The System’s media lie and program. That interview took place within 5 months of the last episode, and individuals “magically” appeared in my life to connect me with David Icke. During this “interview” I was instructed not to motion or gesture with my hands by David Icke. As well, the decision was made that I could not wear my glasses; so I was unable to see as well.
I was being prepared for this role by as early as 1996, and was programmed to change my name legally to “Arizona Wilder”; “Wilder” being Penfield’s first name and Arizona having to do with the follow-up and continued research of Wilder Penfield’s work on me by Arizona State University in Tucson.
In spite of the many abuses and crimes perpetrated against me, I continued to attempt to have a life of my own, never realizing the full extent of my involvement and victimization until recently.
I was hired at Clearview Convalescent Center as the director of nursing in 2007 after working there for the prior year as a house supervisor. In 2006, I had changed my name legally back to “Jennifer Nagel”. I had ceased having anything to do with speaking in “conspiracy “circles because I had begun to question my own actions of making a name change and doing the interview with David Icke. I had never wanted to be part of anything that could mislead others and I could also see that I still did not understand why I had made the name change to “Arizona Wilder”, or why I had done this interview, so I never laid any of this to rest, but continued to research.
I have recently become aware that my prior naïve conclusions, that secret “groups”/organizations within the system, operating “subversively and covertly” who are responsible for these abuses/ criminal acts that no one else knows about is somewhat misleading. The truth is that the system knows and shares all the information about its existence and ongoing activity, and is kept informed of persons that have been the subject of the attention from these “groups”. In fact, there is no secret within the system’s membership about these groups; they are known entities operating and funded within the system. In short- Everybody knows about the “BIG BOYS” behind the scenes.
My parents/ family have apparently benefited from my involvement in this research, as I have recently been informed that my parents had established a trust fund for payment of what had been done to me throughout my childhood. Currently, I am told by investigators that there are “millions of dollars” in that fund. I found this out at the same time as I found out that one of my sisters, Theresa, appointed trustee of this fund by my parents, was planning, along with some other family members (sister(s)) to prevent me from ever leaving California to join my husband Glen Kealey, and instead have me placed on a conservatorship, in order to increase their benefits from this fund. I was advised to leave California earlier than I had originally planned to because of this, which I did.
The fact that I was denied entrance to Canada and given a one year exclusion order built upon lies of CBSA flunkies and then had to travel by car across the country to a small town in the U.S. directly across the border from the area of my Canadian husband’s hobby farm where, since obtaining my New York state nurse’s license last September 9, 2010 I have been unable to secure any work as a nurse in spite of years of experience and a glowing recommendation from my last employer by facilities here who continue to advertise openings for RNs on a monthly basis, lends credence to the probability of conspiracy by an organized group (“human resources”) with an agenda designed to prevent my employment, thus making me financially insolvent, as well as alone and separated from my husband. I was given information at the time of one of my interviews that I later found out from personnel to be untrue, i.e. RN positions available at time of interview even though the administrator told me in the presence of two nurse managers that they were interviewing for these positions. That CEO, who had been a director of nursing in another nursing home in Ogdensburg prior to her current position as CEO, and the new director of nursing (who took over at the facility that she left) both separately told me they would be in contact with me though I never heard from either of them again. I, too, as a director of nursing used to interview people for positions, so I know the process.
In my years of working as a nurse and operating under my prior naive belief that my employers knew only the facts about me pertinent to my employment , I did not feel my personal life was any employer’s business, because it had nothing to do with my work as a nurse, or the quality of my work. I have never brought this background up at any job, because it was not essential to my work. I have never discussed my personal life with any individual at work. It has, however been brought up to me, in certain instances, by persons in the workplace in a superior position to me, (i.e. administration and nursing management) in order to send a clear message to me that everything about me is “known”, and as stated above, it has been and would be used against me.
By my record I have already proven that, in spite of all the traumas and abuses perpetrated against me throughout my life, that I am an asset to any company, and that there is no excuse that can be found not to hire me. I have greater empathy and understanding about suffering and trauma than most people ever will. I have proven that I can work well with others and make sound decisions based on the realities of circumstances.
I suggest that any company or corporation that would not hire me due to “assumptions” and stories found on the internet by clerks (in an attempt to have deniability), while never once asking me about my life, losses, what I have learned, and how I can help others, is participating in at the very least, immoral, unethical, and illegal activity.
Today my message to the “System” is this: You created the problems on this planet and in this universe and in the end will take responsibility for that. You have destroyed the lives of people throughout the centuries for your goals. Your plan for me was in effect before I was even born. I never had a choice about what happened. You have genetically and socially engineered countless millions of people throughout history. The details and program for others was perhaps not the same as mine, but the intent was the same. The biggest lie of all that your self-serving system preaches is that people who are simply trying to survive day to day in the system you created and perpetuate, have freedom. Freedom to what? Freedom to you (The System) means… “No charge”. In reality, people don’t have the freedom to think for themselves. This is how you have justified the genetic engineering you’ve done and the decision made long ago to shelve the current model (of Worker Bees) for an 11.0 model of slaves.
I do not believe that what you have done and continue to do to me, as well as others for the sake of your centuries old business plan is justifiable. I do not believe that what you are about to do and blame on “acts of God” and that will result in the deaths of millions in the northern hemisphere is justifiable, so know this: You “ creator God”, have a Boss called “CREATION” that you will one day very soon answer to for what you have been doing. Your BOOK OF LIFE will be read aloud.
My greatest sadness is knowing that what CREATION intended for this universe was hijacked, stolen, and perverted for use of a so-called select group who consider themselves so superior to everyone else that they can justify the absolute lie of “God”.
I cannot change any of you. I, though, made a choice that none of you can do anything about; that I now serve CREATION. I am giving notice to all of you that CREATION is very much involved in what has transpired in the last year in all of this.
How will you answer when one day you stand before CREATION and are asked these questions: 1) What did you know? 2) When did you know it? 3) What did you do about it?
This is Jennifer Ann Kealey a.k.a. Arizona Wilder. I was just told about this site. WHO authorized this site? WHO answers questions and comments as if they are coming from me?
Jennifer Ann Greene was my married name before I legally changed it to Arizona Wilder because I had been programmed to do so. Only I and the perpetrators could know this, so who/whomever is doing this is a fraud, and was not authorized to do so.
I no longer (for many years) condone the use of material I made while involuntarily programmed especially for the David Icke video.
His material is not today and has never been my experience nor was the concept of "shape-shifting reptilians" something that I experienced as an unwilling victim at rituals.
I was programmed specifically for David Icke's interview as well as the following Conspiracy Con meeting in San Jose, CA. etc., and David Icke as well as Brian Desborough both knew that I had been programmed to respond this way when they made the video.
In fact, the ring shown in the video was used to certify to Brian Desborough and David Icke that I had been programmed with preset answers and was to be used for this video.
SEE DAVID ICKE INTERVIEW WITH ARIZONA WILDER HERE
Seria uma identidade falsa? Estaria ela sendo obrigada a aceitar ou fazer isto? 




Arizona Wilder refuta David Icke Entrevista (continuação)
por Jennifer Keale
yhttp://www.conspiracyplanet.com/channel.cfm?channelid=36&contentid=10261&page=2

Minha luta para superar o que perpetrations e abusos acumulados em cima de mim afetou meus filhos também.Eu sabia de outros que haviam sido ritualmente abusados desde o nascimento; trazido a este mundo com um propósito não de sua própria escolha. Eles lutaram muito, e muitos deles não têm sido capazes de mentalmente e emocionalmente superar seu passado. Algumas das pessoas que eu sabia que estavam permanentemente fisicamente afetados. Alguns tirou sua própria vida porque não podia ver a frente a sua cura. Muitos foram simplesmente rotulados como â € œmentally illa €?. Novamente, â € œThe Systemâ €? está lá para recebê-los e engoli-los e torná-los â € œcomfortably Numba €? e convencê-los de que eles não ver, ouvir ou sentir o que eles de fato, fez. Além disso, eles têm perpetuado a falsa idéia de que se pode superar a situação em que estão em simplesmente virando-se para o próprio sistema responsável pelo abuso, e enquanto a vítima assume a responsabilidade pela sua situação, ser aceito de volta ao redil e rebury os perpetrations e abuso.O ano passado foi um ponto importante na minha vida quando comecei a reavaliar tudo o que eu tinha, até agora, aceito como verdade sobre a minha vida, mesmo que não completamente sentido para mim até aquele momento. Desde a minha saída abrupta do sul da Califórnia começou e eu descobri informações que me levou a questionar a validade do que eu tinha anteriormente aceite por falta de uma explicação melhor devido a peças que faltam, a verdade começou a cair no lugar, e as mentiras que eu tinha não questionaram antes começaram a balançar e cair, um sobre o outro como peças de dominó, como a verdade sobre a minha vida foi exposta. Parecia que uma mentira sobre a minha vida era dependente de acreditar outra, e assim por diante. Foi só ao examinar e analisar todos os dados conhecidos (deixando espaço para os dados futuros a ser descoberto) que a verdade sobre a minha vida começou a se desdobrar.Portanto, agora vou listar o que é conhecido neste momento por mim, assim como as crenças dos pesquisadores que estão investigando a minha situação em nome do Instituto Canadense de integridade política, por isso estamos todos na mesma página:Eu estava geneticamente planejado e trouxe para esta vida e atribuído à família Nagel por Wilder Penfield, o muito â € œapplaudedâ €? e â € œrespectedâ €? neurocirurgião com sede em Montreal na Universidade McGill, que era conhecido, juntamente com seu associado, Ewen Cameron de estar envolvido em pesquisas sobre o cérebro para fins de controle da mente (conhecido em os EUA como MK Ultra) e pessoas que utilizam, incluindo as crianças como sujeitos sem o seu conhecimento ou consentimento.Minha vida era um estudo e experiência em Wilder Penfieldâ € ™ s pesquisas de memória no cérebro. A condição de múltiplas personalidades foi propositalmente induzida em mim através do trauma repetido ritual que incluía abusos sexuais perpetrados em cima de mim por meu pai e realizado ao longo dos anos que se seguiram em minha vida adulta por outros, que eram de um fundo militar, bem como sendo supervisionado pelo Monges Beneditinos (Viator) do Monte. Angel, Oregon. O objetivo era cobrir o â € œsymptomsâ €? esta pesquisa induzida em mim com as técnicas de programação repetidas empregadas contra a minha pessoa. Nunca me perguntaram se eu queria fazer parte disso. Eu considero que foi feito para mim ser atos criminosos.A partir do momento que eu era casado, minha mãe estava sempre a dizer-me que eu tinha tido um â € œdifficult e stressfulâ €? infância. Foi-me dito que eu acordava gritando de terror na noite muitas vezes como uma criança. Lembro-me de um pesadelo recorrente que me acordou em uma base constante, que muitos anos mais tarde acabou por ser sobre meus fatherâ € ™ s assédios de mim. Lembro-me de ser levado para o Dr., um pediatra que usava uma gravata borboleta e um jaleco cinza, enquanto eu era jovem. Minha mãe eo Dr. faria conferência juntos na sala ao lado, fechando a porta e falando em voz baixa, em inúmeras ocasiões ao longo da minha infância e adolescência. Ela me levou para ver um outro especialista, quando eu tinha nove anos de idade, que fez um EEG e me colocou em medicação, que minha mãe afirmou não ter o efeito desejado em mim, então ela descontinuou as visitas a este Doutor. Quando eu estava na quarta série, meus pais compraram um piano, e começou a me aulas de piano. Minha mãe começou a me dizer, depois do nascimento do meu filho anos mais tarde, que ela acreditava que eu tinha sido molestada por um â € œbabysitterâ € ™ s boyfriendâ €? quando eu era pré-jardim de infância idade. Eu nunca perguntei a ela sobre isso, e se perguntou por que ela continuou a levá-la para mim. Ela também sempre me disse que um â € œstressful childhoodâ €? Iâ € ™ d teve, e que eu tinha um â € auto œvery pobres imagea €;?, Portanto, as aulas de piano. Ela transferiu-me de uma aula da quarta série para outra, e fez o mesmo para mim quando eu estava na sexta série. Eu tinha de suportar o ostracismo dos meus pares para isso. Minha mãe me disse quando eu estava na quinta série que ela estava pensando em me segurando um ano. Lembro-me estourando a chorar e exclamando, â € œBut o que eu fiz de errado?  €? Meu pai, também um professor de escola primária, voltava para casa depois de um dia de ensino e torre em cima de mim e gritar comigo, porque eu não poderia fazer a lição de matemática que me foi dado semanal. Nessas horas eu lembro da minha audição se apagando, e então minha visão iria escuro naquele ponto. Mais tarde percebi que era outra parte de mim que vem à superfície para lidar com estas situações com o meu pai.Em 1989, quando eu tomei a decisão de procurar respostas para perguntas sobre o meu passado, eu disse aos meus pais da minha decisão sobre o telefone. Eles fizeram uma viagem especial para me ver e me disse que seria um erro enorme para desenterrar o passado, eu estava casado agora e tinha dois filhos lindos, eles me disseram, e para deixar o passado ir. Eu disse a eles que eu não podia, porque para mim não foi passado. Era algo que eu carregava diariamente, na forma de episódios recorrentes de depressão. Gostaria de saber o que poderia ser como não ser facilmente deprimido. Além disso, eu não conseguia entender por que eu deveria estar deprimido porque eu não conseguia pensar em nada até aquele momento que iria desencadear a depressão. O que começou a me preocupar era o que minha mãe tinha me dito, e então pensar, â € œBut itâ € ™ s muito mais do que o que ela é sayingâ € | â €? Eu me preocupava constantemente para minha segurança childrenâ € ™ s. Eu não queria deixá-los com ninguém. Eu tinha â € œflashesâ €? de perturbar imagens visuais que eu não poderia fazer sentido naquele momento sobre o meu pai e eu, e eu tinha medo de dizer nada a ninguém, porque o pensamento de que algo tinha acontecido entre mim e meu pai era tão repugnante para mim. Fui para obter ajuda de um psiquiatra, que tinha um programa que lidava com adultos sobreviventes de abuso sexual na infância. O psiquiatra tinha falado em um programa de rádio que eu tinha ouvido falar sobre o uso de sódio Amytal para ajudar o sujeito a falar sobre memórias reprimidas e todas as sessões foram gravadas em áudio e vídeo. Recentemente, descobri que Amytal sódio tinha sido um assunto bem pesquisado no Instituto Neurológico de Montreal na Universidade McGill, em Montreal, Quebec desde a 1940â € ™ s, quando foi utilizado pela primeira vez pelo Dr. junho Wada para presurgically avaliar onde o centro da linguagem e centros de memória em cada hemisfério cerebral eram antes da cirurgia para os casos de epilepsia quando a cirurgia para remover uma seção do tecido cerebral era a última opção para parar a atividade de apreensão. Agora acredito que não foi um acidente ou acaso que tinha Entrevistas sódio amytal, juntamente com um estudo BEAM, os resultados de que misteriosamente desapareceram do Dr.â € ™ s escritório. Não um acidente ou de um estudo de SPECT foi realizada no tempo que, muitas vezes utilizada em conjunto com indução de sódio Amytal, bem como para fins de mapeamento das áreas do cérebro, por exemplo, o hipocampo, que está envolvido com o armazenamento e recuperação de memória da memória espacial e visual. Eu sugiro que o apelo superfície das Entrevistas amytal para mim não era o objetivo dos meus controladores que eu agora também acreditam que me enviou a este Dr. O propósito que se pretendia era uma avaliação de sinais conhecido apenas a eles através de indução intravenosa de medicamentos (sódio Amytal e Brevital) que sabia que poderia ser usado para colocar algumas áreas do cérebro para dormir, de modo que as áreas designadas poderia, então, ser avaliado pelas respostas visuais e auditivas provocadas por questionar, junto com um registro de respostas fisiológicas registrado pelo anestesista / anestesista presente para monitorar os sinais vitais durante a entrevista.Para aqueles que, neste ponto, que já ouviu falar que essas entrevistas não são precisos, eu falava sobre muitas coisas nessas entrevistas, não menos do que foi um incidente da infância, que envolveu uma menina e sua irmã sobre a minha idade na época, que foram expulsos por seu tio para a minha casa, onde eu seria pego. Estávamos todos a ser levado para o â € € œritualsâ?. Eu era capaz de indicar o nome desta menina, sua irmã, e dois primos, que às vezes pareciam ser trazido, assim como seu tio. Cinco anos depois desta entrevista, na verdade eu conheci essa garota, que eu não reconhecia como um adulto, a um grupo de apoio para sobreviventes de abuso ritual. Nós descobrimos que havia crescido a uma distância muito curta do outro, e ela havia freqüentado a escola no distrito mesma escola que eu, assim como frequentar a escola onde minha mãe dava aulas no mesmo período de tempo que os eventos descritos. Ela verificou os detalhes do que foi gravado, inclusive com as memórias também. Mais tarde, ela ouviu a esta parte da fita e foi maravilhado com que todos esses detalhes foram registrados. Durante as entrevistas, não foi levado ou treinou. Havia muitos detalhes que foram dadas, no entanto, não quaisquer respostas a respeito de como tudo isto começou e, mais importante, por quê. Digo isso porque a minha própria mãe, no ano passado me disse que a Fundação Síndrome de Falsa Memória expôs essas entrevistas foi feito para incutir â € œfalse memoriesâ €?. Ela e meu pai se juntou FMSF há muitos anos após eles depressa se mudou para fora do estado eu morava em quando o meu marido, então, repetiu para os meus pais de que tinha ouvido na entrevista gravada. Neste momento eu acredito que o FMSF foi formado, entre outros motivos, para negar a teoria de Wilder Penfield, bem como outros que pesquisam a prova de que toda a memória é gravada no cérebro. Eu acredito que o verdadeiro propósito da obra de FMSF é fornecer uma estrutura de apoio de negação aos autores, uma vez que estão todos no mesmo time e, secundariamente, para negar esta modalidade como sendo exato para acessar memórias reprimidas.Durante esse tempo, e para os próximos 15 anos, meus pais e minha família husbandâ € ™ s parou de falar comigo. Minha família assistida meu marido para obter a custódia física e jurídica dos meus filhos. Minha mãe até escreveu uma carta ao juiz do tribunal de família me rotular um â € œtrouble-Makera €? e elogiando o meu agora ex-marido como o pai, responsável, carinho e amor, e depois meus pais assinaram a carta. Meu marido havia embarcado em um programa sistemático de abuso mental, emocional e físico finalmente de mim, mesmo espancamento me agarrando meu cabelo e batendo a cabeça contra a parede repetidamente, enquanto segurava a nossa filha em seus braços. Ele foi feito para olhar o pai qualificada no sistema de tribunal de família, enquanto eu estava feita para aparecer mentalmente perturbado e fora de controle. Eu tinha procurado ajuda para mim e para os meus filhos, que estavam com sinais e sintomas de ter sido envolvido no abuso ritualístico, confirmou mais tarde, de acordo com as observações de psiquiatras e terapeutas, que também não foram autorizados a testemunhar em tribunal de família em seu nome. Para tentar ajudar os meus filhos, físicas e de custódia legal foram tomadas longe de mim e eu fui feito para deixar a minha casa para que meu marido teve então a liberdade para se deslocar de sua namorada para atuar como seu â € œmotherâ €?. Eu fui colocado na deficiência Federal a meu pedido, em 1991, porque as consequências de assédio induzida incluído grave transtorno de estresse pós-traumático e depressão. Eu usei os anos seguintes para recuperar memórias e lidar com o assédio resultante e constante.O â € œharassmentâ €? Eu estou falando sobre ser sequestrado incluído em muitas ocasiões, drogada, o uso de eletroconvulsoterapia enquanto em restrições resultantes com sequelas de confusão, perda de memória temporária e atividade de apreensão registrado, impregnadas em três ocasiões por desconhecidos e não sexual, meios não consensual, assédio chamadas de telefone em todas as horas, mensagens misteriosas e assustadoras deixou para mim em secretárias eletrônicas, batendo na porta da frente de lugares que eu estava vivendo em todas as horas da noite, mais especialmente às 3 da manhã, o DDT pulverizado dentro do apartamento em cima da mesa da cozinha e no roommateâ € ™ s sala em uma situação, sendo seguido por diversas vezes e quando menos se espera pela claramente marcadas â € OEG 41A €? vans militares em todos os lugares que eu fui, às vezes com um homem vestido com um uniforme da marinha saindo e em pé ao lado do veículo e me olhando enquanto eu corria recados, apenas para voltar em sua van com placas de governo do governo e continuar este mesmo exercício para o conjunto dia, meu carro sendo traseiro-terminou e totalizaram, sendo agredido fisicamente no trabalho em uma unidade psiquiátrica por â € œ fêmea patientâ €?, que me chutou no estômago tão forte que me enviou na parede e, em seguida, gritando em me na frente de todo o pessoal presente, â € œ Eu vou te matar quando eu sair daqui, e se eu donâ € ™ t, Robert Caldwell Willa € | heâ € ™ s vai ficar youâ € | â €? (Este homem era de Inteligência Naval, por seu cartão de visita). Em outra unidade psiquiátrica em que eu estava trabalhando para que eu pudesse pagar honorários advocatícios para uma disputa de custódia próximo, fui chamado para a enfermeira managerâ € ™ s escritório e afirmou-se-me que dois pacientes se queixou de que eu estava indo para a sua quarto à noite durante as verificações de cama, e uma lanterna em seus olhos e dizendo-lhes que, â € œSatan vai matar você, a menos que você volte para a culta € | â €? Foi-me dito que â € œadministrationâ €? exigiu que eu ser entrevistado por um dos psiquiatras de sua equipe. Afirmei a minha inocência e saiu. Houve muitos incidentes semelhantes às ocorrências acima indicados.Decidi em 1999 que eu queria e precisava voltar a trabalhar, porque eu tinha feito um trabalho tanto quanto poderia ser feito para recuperar as memórias e para chegar a termos com o que tinha sido feito para mim. Infelizmente, em 1998, a última vez que foi sequestrado e trabalhou durante ou seja dada enormes quantidades de choque elétrico por agressores desconhecidos, (o que resultou em uma internação) eu não sabia que eu estava sendo â € œpreparedâ €? ou seja programado, para uma entrevista com David Icke, um ex-locutor esportivo virou publicitário conspiração para cometer O Systemâ € ™ s mentira da mídia e do programa. Essa entrevista ocorreu dentro de 5 meses do último episódio, e os indivíduos â € œmagicallyâ €? apareceu na minha vida para me conectar com David Icke. Durante este â € œinterviewâ €? Fui instruído para não movimento ou gesto com as mãos de David Icke. Como assim, a decisão foi tomada que eu não poderia usar meus óculos, por isso eu era incapaz de ver também.Eu estava sendo preparado para este papel, desde 1996, e foi programado para mudar meu nome legalmente para â € œArizona Wilderâ €;? â € œWilderâ €? sendo Penfieldâ € ™ s primeiro nome e Arizona tem a ver com a pesquisa de acompanhamento e continuada de Wilder Penfieldâ € ™ s de trabalho em mim pelo Arizona State University em Tucson.Apesar dos muitos abusos e crimes cometidos contra mim, eu continuei a tentar ter uma vida própria, sem nunca perceber a extensão da minha participação e vitimização até recentemente.Fui contratado no Centro de Convalescença Clearview como a diretora de enfermagem em 2007, depois de trabalhar lá para o ano anterior como supervisor de casa. Em 2006, Eu tinha mudado meu nome legalmente de volta para â € œJennifer Nagelâ €?. Eu tinha deixou de ter qualquer coisa a ver com o falar em â € â € œconspiracy œcircles porque eu tinha começado a questionar minhas próprias ações de fazer uma mudança de nome e de fazer a entrevista com David Icke. Eu nunca quis ser parte de alguma coisa que poderia enganar os outros e eu também pude ver que eu ainda não entendia por que eu tinha feito a mudança de nome para â € œArizona Wilderâ €?, Ou porque eu tinha feito esta entrevista, então eu nunca colocou nada disso para descansar, mas continuou a pesquisa.Eu recentemente conhecimento de que meus anteriores ANA conclusões ve ¯, que o segredo â € œgroupsâ €? / Organizações dentro do sistema operacional â € œsubversively e covertlyâ €? que são responsáveis ​​por esses abusos / atos criminosos que ninguém mais conhece é um pouco enganoso. A verdade é que o sistema sabe e compartilha todas as informações sobre sua existência e actividade em curso, e é mantido informado de pessoas que tenham sido objecto da atenção destes â € œgroupsâ €?. Na verdade, não há segredo no systemâ € ™ s membros sobre esses grupos, eles são conhecidos pelas entidades que operam e financiado dentro do sistema. Todo mundo em curto sabe sobre o â € œBIG BOYSâ €? nos bastidores.Meus pais / familiares têm, aparentemente, beneficiaram a minha participação nesta pesquisa, como eu, foram recentemente informados de que os meus pais tinham estabelecido um fundo para o pagamento do que havia sido feito para mim durante toda a minha infância. Atualmente, segundo me disseram por investigadores que há â € œmillions de € dollarsâ? nesse fundo. Descobri isso ao mesmo tempo, como eu descobri que uma das minhas irmãs, Theresa, nomeado administrador do fundo de garantia por meus pais, estava planejando, junto com alguns outros membros da família (irmã (s)) para impedir-me de nunca sair Califórnia para participar do meu marido Glen Kealey, e sim ter me colocado em uma tutela, a fim de aumentar os seus benefícios a partir deste fundo. Fui aconselhado a deixar a Califórnia antes do que eu havia planejado, por isso, o que eu fiz.O fato de que eu estava negada a entrada para o Canadá e dado uma ordem de exclusão um ano construída sobre mentiras dos lacaios do CBSA e então teve que viajar de carro através do país para uma pequena cidade em os EUA do outro lado da fronteira a partir da área de minha husbandâ canadense € ™ s fazenda passatempo onde, desde a obtenção de meu estado de Nova York nurseâ € ™ s última licença 09 de setembro de 2010, fui incapaz de garantir qualquer trabalho como enfermeira, apesar de anos de experiência e um brilhante recomendação do meu último empregador por instalações aqui que continuam a anunciar vagas para enfermeiros em uma base mensal, dá credibilidade à probabilidade de conspiração de um grupo organizado (â € œhuman resourcesâ €?) com uma agenda projetada para evitar que o meu emprego, tornando-me financeiramente insolvente, bem como sozinha e separada do meu marido. Foi-me dado informações no momento de uma das minhas entrevistas que descobri mais tarde do pessoal a ser falso, ou seja, posições RN disponíveis no momento da entrevista, embora o administrador disse-me na presença de dois gerentes de enfermagem que estavam entrevistando para estes posições. Que o CEO, que tinha sido um diretor de enfermagem em outra casa de repouso em Ogdensburg antes de sua atual posição como CEO, e do novo diretor de enfermagem (que assumiu a facilidade que ela deixou) ambos separadamente me disse que eles estariam em contato comigo que eu nunca ouvi falar de qualquer um deles novamente. Eu, também, como um diretor de enfermagem utilizado para entrevistar pessoas para posições, então eu sei o processo.Em meus anos de trabalho como enfermeira e operando sob a minha crença ingênua de que, antes meus empregadores sabia apenas os fatos sobre mim pertinentes ao meu trabalho, eu não sinto que minha vida pessoal era qualquer employerâ € ™ s de negócios, porque não tinha nada para fazer com o meu trabalho como uma enfermeira, ou a qualidade do meu trabalho. Eu nunca trouxe este pano de fundo a qualquer trabalho, porque não era essencial para o meu trabalho. Eu nunca sobre minha vida pessoal com qualquer indivíduo no trabalho. Tem, no entanto foi trazido até mim, em certos casos, por pessoas no local de trabalho em uma posição superior a mim, (ou seja, administração e gestão de enfermagem), a fim de enviar uma mensagem clara para mim que tudo em mim é â € œknownâ €?, e tal como acima referido, tem sido e seria usado contra mim.Ao meu registro já provaram que, apesar de todos os traumas e abusos perpetrados contra mim ao longo da minha vida, que eu sou um ativo para qualquer empresa, e que não há desculpa que pode ser encontrado não me contratar. Eu tenho uma maior empatia e compreensão sobre o sofrimento e trauma do que a maioria das pessoas nunca. Tenho provado que eu possa trabalhar bem com os outros e tomar decisões com base na realidade das circunstâncias.Sugiro que qualquer empresa ou corporação que não iria me contratar devido a â € œassumptionsâ €? e histórias encontradas na Internet por funcionários (em uma tentativa de ter uma negação), enquanto jamais me perguntando sobre a minha vida, as perdas, o que eu aprendi, e como eu posso ajudar os outros, está participando, no mínimo, imoral, antiético, e atividade ilegal.Hoje a minha mensagem para o â € œSystemâ €? é esta: Você criou os problemas neste planeta e neste universo e, no final, vai assumir a responsabilidade por isso. Você destruiu a vida das pessoas ao longo dos séculos para seus objetivos. Seu plano para mim estava em vigor antes de eu nascer. Eu nunca tive uma escolha sobre o que aconteceu. Você geneticamente e engenharia social incontáveis ​​milhões de pessoas ao longo da história. Os detalhes e programa para outros talvez não fosse a mesma que a minha, mas a intenção era a mesma. A maior mentira de todas que seus prega auto-serviço do sistema é que as pessoas que estão simplesmente tentando sobreviver dia a dia no sistema que você criou e perpetuar, ter liberdade. Liberdade para o quê? Liberdade para você (o sistema) meansâ € | â € Oeno chargeâ €?. Na realidade, as pessoas donâ € ™ t tem a liberdade de pensar por si mesmos. Isto é como você ter justificado a engenharia genética youâ € ™ ve feito ea decisão tomada há muito tempo a arquivar o modelo atual (de abelhas operárias) para um modelo de 11,0 de escravos.Eu não acredito que o que você tem feito e continuará a fazer para mim, assim como os outros por causa de seus séculos plano de negócio de idade é justificável. Eu não acredito que o que você está prestes a fazer e culpa em â € œacts de Goda €? e que resultará na morte de milhões de pessoas no hemisfério norte é justificável, então sei que isso: você â € œ criador Godâ €, tem um chefe chamado â € œCREATIONâ €?? que você vai um dia muito em breve para responder por aquilo que você tem feito. Seu livro da vida será lido em voz alta.Minha maior tristeza é saber que o que a criação destinados para este universo foi sequestrado, roubado e pervertido para o uso de um grupo chamado de seleção que se consideram tão superior a todos os outros que possam justificar a mentira absoluta de â € œGodâ €? .Eu não posso mudar qualquer um de vocês. Eu, porém, fez uma escolha que nenhum de vocês pode fazer nada a respeito, que eu agora servem CRIAÇÃO. Eu estou dando aviso a todos vocês que a criação é muito envolvido com o que aconteceu no ano passado, em tudo isso.Como você vai responder quando um dia você estar diante de criação e são essas perguntas: 1) O que você conhece? 2) Quando você sabia que? 3) O que você fez sobre ele?Originalmente publicadohttp://antinewworldorder.blogspot.com/2011/06/open-missive-from-jennifer-ann-kealey.htmlEsta é Jennifer Ann Kealey aka Arizona Wilder. Só me disseram sobre este site. Quem autorizou este site? Quem responde perguntas e comentários como se eles estão vindo de mim?Jennifer Ann Greene foi o meu nome de casada legalmente antes de eu mudei para o Arizona Wilder, porque eu tinha sido programado para isso. Só eu e os agressores poderiam saber isto, para que / quem está fazendo isso é uma fraude, e não foi autorizado a fazê-lo.Eu já não (há muitos anos) tolera o uso de material que fiz enquanto involuntariamente programado especialmente para o vídeo Icke David.Seu material não é de hoje, nem nunca foi a minha experiência, nem foi o conceito de "mudança de forma reptilianos" algo que eu experimentei como uma vítima involuntária em rituais.Eu estava programado especificamente para entrevista de David Icke, bem como a reunião seguinte Conspiração Con, em San Jose, CA. etc, e David Icke, assim como Brian Desborough ambos sabiam que eu tinha sido programado para responder desta forma quando fez o vídeo.Na verdade, o anel mostrado no vídeo foi utilizado para certificar a Brian Desborough e David Icke que eu tinha sido programado com respostas pré-definidas e era para ser usado para este vídeo.Originalmente publicadohttp://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=224762537612189&id=113182278770216 Ver David Icke ENTREVISTA COM ARIZONA WILDER AQUI

Arizona Wilder - uma vítima do ocultismo (satanismo) e controle mental
http://www.youtube.com/watch?v=PyQve6GP0Sw





Arizona Wilder: Confessions from a illuminati victim mind control
http://www.youtube.com/user/deusmihifortis/videos?query=ARIZONA+WILDER

SVALI, CATHY O'BRIEN, ARIZONA WILDER: EX-ESCRAVAS ILLUMINATI FALAM SOBRE PROGRAMAÇÃO MENTAL
http://conspiratio.blogs.sapo.pt/151168.html

*
Nem tudo é para se acreditar, mas para se investigar

3 comentários:

  1. Yes, it's something to investigate.

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Always I suspected of many stories of David icke , though he says many truths .
    Arizona is not lying.
    I believe that David icke is just another agent in the service of Reptiles. Searching for the video in which the david icke shapshifting
    Sempre suspeitei de muitas histórias do David icke, embora ele diga muitas verdades.
    Arizona nao está mentindo.
    Creio que David icke é só mais um agente a serviço dos Répteis. Ppesquisem o vídeo no qual David icke muda de forma

    ResponderExcluir