DOMINGO REZE UM MINUTO

Seguidores

sábado, 23 de julho de 2016

ONU, NOVA ORDEM MUNDIAL E MANIPULAÇÃO GLOBAL : Poder Global Religião Universal - Parte I - 11.07.2016

.

Nada disso poderia acontecer se as informações estivessem circulando. Mas a censura é quase total e a mentira se tornou a língua oficial dos governos e da imprensa. Resta só a Internet, por enquanto.

*

POLITICAMENTE CORRETO: A JUSTIFICAÇÃO PARA A PRÁTICA DO MAL SOCIAL
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/07/politicamente-correto-justificacao-para.html

EUTANÁSIA E OUTROS CRIMES SÃO RECOMENDADOS PELA ONU PARA UMA NOVA SOCIEDADE
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/07/eutanasia-e-outros-crimes-sao.html

NOVA ORDEM MUNDIAL POR TRÁS DE ONGS E MOVIMENTOS SOCIAIS - OLAVO DE CARVALHO
https://youtu.be/ytl40ZlclU0

A ISCA: AQUECIMENTO GLOBAL - O OBJETIVO: GOVERNO MUNDIAL - PESQUISEM CLIMAGATE

OLAVO DE CARVALHO - "Os acontecimentos mais básicos dos últimos cinqüenta anos são: primeiro, a ascensão de elites globalistas, desligadas de qualquer interesse nacional identificável e empenhadas na construção não somente de um Estado mundial mas de uma pseudocivilização planetária unificada, inteiramente artificial, concebida não como expressão da sociedade mas como instrumento de controle da sociedade pelo Estado; segundo, os progressos fabulosos das ciências humanas, que depositam nas mãos dessas elites meios de dominação social jamais sonhados pelos tiranos de outras épocas."
http://www.olavodecarvalho.org/semana/091217dc.html

OLAVO DE CARVALHO - "De fato, cada vez mais e mais opiniões entram na classificação de "discursos de ódio". No fim só sobrarão, isentos da suspeita de ódio, os discursos de ódio ao cristianismo, que matam 150 mil pessoas anualmente por puro amor."
"Se porventura o movimento popular sair vencedor, como parece que vai acontecer, e de eleições novas e limpas emergir um presidente de verdade em vez dessa farsante semi-analfabeta, AÍ A BRIGA SE TRANSFERIRÁ PARA O PLANO INTERNACIONAL, e será preciso muito apoio do povo ao novo governante para que ele resista às pressões que inevitavelmente tentarão fazê-lo submeter os interesses nacionais aos de poderosas forças estrangeiras. Afinal, o comunopetismo, com seus esforços de dissolver as soberanias nacionais num monstrengo chamado "Pátria Grande", está perfeitamente alinhado e submisso aos planos da Nova Ordem Global que ele diz combater, e que visam precisamente à INTEGRAÇÃO MUNDIAL POR MEIO DE GRANDES INTEGRAÇÕES REGIONAIS. Os autonomeados senhores do mundo não ficarão felizes de ver a queda do seu querido pupilo, e tudo farão para que o novo presidente seja como ele."
https://www.facebook.com/olavo.decarvalho/posts/10153193907347192

3 comentários:

  1. A POTÊNCIA DO AMOR - Por Einstein

    Fragmento da última carta de Einstein à sua filha Lieserl!


    O Amor...

    Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam, e o que lhe revelarei agora para que o transmita à humanidade, também se chocará contra a incompreensão e os preconceitos do mundo.

    Peço-lhe mesmo assim, que o guarde o tempo todo que seja necessário, anos, décadas, até que a sociedade haja avançado o suficiente para acolher o que lhe explico a seguir.

    Existe uma força extremamente poderosa para a qual a ciência não encontrou ainda uma explicação formal.

    É uma força que inclui e governa todas as outras, e que está inclusa dentro de qualquer fenômeno que atua no universo e que ainda não foi identificada por nós.

    Esta força universal é o Amor.

    Quando os cientistas buscam uma teoria unificada do universo, esquecem da mais invisível e poderosa das forças.
    O amor é luz, já que ilumina quem o dá e o recebe.
    O amor é gravidade porque faz com que umas pessoas sejam atraídas por outras.
    O amor é potencia, porque multiplica o melhor que temos e permite que a humanidade não se extinga no seu egoísmo cego.
    O amor revela e desvela. Por amor se vive e se morre.

    Esta força explica tudo e dá sentido em maiúscula à vida.

    Esta é a variável que temos evitado durante tempo demais, talvez porque o amor nos dá medo, já que é a única energia do universo que o ser humano não aprendeu a manobrar segundo seu bel prazer.

    Para dar visibilidade ao amor, fiz uma simples substituição na minha mais célebre equação. Si no lugar de E=mc² aceitamos que a energia necessária para sanar o mundo pode ser obtida através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado, chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limite.

    Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia.

    Se quisermos que nossa espécie sobreviva, se nos propusermos encontrar um sentido à vida, se desejarmos salvar o mundo e que cada ser sinta que nele habita, o amor é a única e última resposta.

    Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, um artefato bastante potente para destruir todo o ódio, o egoísmo e a avareza que assolam o planeta.
    Porém, cada indivíduo leva no seu Interior , um pequeno mas poderoso gerador de amor cuja energia espera ser liberada.

    Quando aprendermos a dar e receber esta energia universal, querida Lieserl, comprovaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.

    Lamento profundamente não ter sabido expressar o que abriga meu coração, que há batido silenciosamente por você toda minha vida.

    Talvez seja tarde demais para pedir-lhe perdão, mas como o tempo é relativo, preciso dizer-lhe que a amo e que graças a você, cheguei à ultima resposta.

    Seu pai,
    Albert Einstein "
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/a-potencia-do-amor-por-einstein/#ixzz4QBDMH700


    ResponderExcluir
  2. A FÉ HUMANA E A DIVINA

    No homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.
    Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião. Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação. Também os apóstolos não operaram milagres, seguindo-lhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?
    A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras. O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa, se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força. O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé, não há maus pendures que se não chegue a vencer.
    O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.
    Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar ao que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas. Um Espírito Protetor.(Paris, l863.)

    KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Capítulo 19. Item 12.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 06.11.2016

    ResponderExcluir
  3. A FÉ HUMANA E A DIVINA

    No homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.
    Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião. Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação. Também os apóstolos não operaram milagres, seguindo-lhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?
    A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras. O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa, se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força. O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé, não há maus pendures que se não chegue a vencer.
    O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.
    Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar ao que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas. Um Espírito Protetor.(Paris, l863.)

    KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Capítulo 19. Item 12.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 06.11.2016

    ResponderExcluir