DOMINGO REZE UM MINUTO

Seguidores

sexta-feira, 29 de julho de 2016

PARAMORALISMO E OUTRAS MANIPULAÇÕES USADAS PELOS POLITICAMENTE CORRETOS




Todo mundo tem algum senso instintivo do que é normal e são, mas não sabe expressá-lo em palavras, nem usualmente é desafiado a fazê-lo. O desafio aparece quando, em épocas de crise, sentindo afrouxar-se os freios do costume e da autoridade, os interessados na promoção de alguma anormalidade específica se erguem dos bas-fonds da sociedade e partem para o ataque frontal à própria noção de normalidade e sanidade.
http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/15634-2015-01-20-22-11-15.html


 
PARAMORALISMOS - a convicção de que valores morais existem e de que algumas ações violam regras morais é um fenômeno tão comum e antigo que parece ter um substrato no nível instintivo e que não somente representa séculos de experiência, cultura, religião e socialização. Assim, qualquer insinuação estruturada em slogans morais será sempre sugestiva, mesmo se os critérios "morais" utilizados forem simplesmente uma invenção ad hoc. Pode-se provar, desta forma, que qualquer ato é imoral, por meio de PARAMORALISMOS utilizados como sugestão ativa, e sempre haverá pessoas cujas mentes sucumbirão a tais raciocínios. Infelizmente, inventar critérios morais sempre novos, de acordo com a conveniência de alguém, tornou-se um fenômeno frequente para indivíduos, grupos de opressão, ou sistemas políticos patológicos. Tais sugestões privam parcialmente as pessoas do seu raciocínio moral e deformam o desenvolvimento deste nos mais jovens.(PONEROLOGIA: PSICOPATAS NO PODER)
*
"Graças ao seu conhecimento psicológico específico e à sua convicção de que as pessoas normais são ingênuas, uma patocracia é capaz de aprimorar as suas técnicas "anti-psicoterapêuticas" e, patologicamente egotística como de costume, insinuar seu mundo de conceitos deficientes para os outros em outros países, tornando-os suscetíveis à conquista e à dominação. Os métodos mais freqüentemente utilizados incluem os métodos paralógicos e conversivos, tais como a projeção das qualidades e intenção de uma pessoa sobre as outras, sobre grupos sociais ou nações, a indignação paramoral e o bloqueio reverso. Esse último método é o favorito dos patocratas, utilizado em larga escala, direcionando as mentes das pessoas medianas para um beco sem saída porque, como resultado, faz com que elas busquem pela verdade no meio termo entre a realidade e o seu oposto."
(PONEROLOGIA: PSICOPATAS NO PODER)

PONEROLOGIA - PSICOPATAS NO PODER

PARAMORALISMO
O paramoralismo, de alguma forma, esquiva-se com perspicácia do controle do nosso senso comum, levando algumas vezes à aceitação ou à aprovação de comportamentos que são abertamente patológicos.

Declarações e sugestões paramoralistas acompanham vários tipos de mal com tanta frequência, que parecem totalmente insubstituíveis. Infelizmente, inventar critérios morais sempre novos, de acordo com a conveniência de alguém, tornou-se um fenômeno freqüente para indivíduos, grupos de opressão, ou sistemas políticos patológicos. Tais sugestões, com frequência, privam parcialmente as pessoas do seu raciocínio moral e deformam o desenvolvimento deste nos mais jovens. Fábricas de paramoralismo têm sido encontradas no mundo todo e um ponerologista considera difícil de acreditar que elas sejam gerenciadas por pessoas psicologicamente normais.




As características conversivas na gênese dos paramoralismos parecem provar que eles são derivados, em sua maioria, da rejeição subconsciente (e repressão do campo de consciência) de alguma coisa completamente diferente, que nós chamamos de voz da consciência.
*
Um ponerologista pode, apesar disso, indicar muitas observações para apoiar a opinião de que vários fatores patológicos participam na tendência ao uso de paramoralismos. Esse foi o caso na família acima mencionada. Quando isso ocorre com uma interpretação moralizante, essa tendência se intensifica em egotistas e histéricos, e suas causas são parecidas. Assim como todos os fenômenos conversivos, a tendência de utilizar paramoralismos é psicologicamente contagiosa. Isso explica porque nós a observamos entre pessoas criadas por indivíduos nos quais ela foi desenvolvida ao lado de fatores patológicos.

Este pode ser um bom lugar para refletir se a lei moral verdadeira é criada e existe independentemente de nossos julgamentos a seu respeito, e até mesmo sobre a nossa habilidade de reconhecê-la. Dessa forma, a atitude necessária para tal entendimento é científica, não criativa: nós devemos subordinar humildemente nossa mente à realidade apreendida. É então que descobrimos a verdade sobre o homem, tanto suas fraquezas como seus valores, que nos mostra o que é decente e apropriado no tocante às outras pessoas e às outras sociedades.



BLOQUEIO REVERSIVO: insistir enfaticamente em algo que é o oposto da verdade bloqueia a mente da pessoa mediana para perceber a verdade. De acordo com os ditados do senso comum saudável, ela inicia a busca de sentido no “meio termo” entre a verdade e o seu oposto, terminando com alguma falsificação satisfatória. As pessoas que pensam assim não percebem que esse efeito é precisamente a intenção de quem os sujeita a esse método. Se a falsificação da verdade é o oposto de uma verdade moral, ao mesmo tempo, ela representa simultaneamente um paramoralismo extremo, e carrega seu caráter peculiarmente sugestivo.

Nós raramente vemos esse método sendo utilizado por pessoas normais; mesmo que tenham sido criadas por pessoas que abusaram dele; geralmente, elas só apresentam os resultados do método em suas dificuldades características para apreender a realidade adequadamente. O uso desse método pode ser incluído dentro dos conhecimentos psicológicos especiais mencionados anteriormente, que são desenvolvidos por psicopatas no tocante às fraquezas da natureza humana e à arte de levar os outros ao erro. Onde eles governam, esse método é utilizado com virtuosidade e em uma extensão proporcional ao seu poder.




SELEÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DA INFORMAÇÃO: a existência dos fenômenos psicológicos sobre o subconsciente conhecidos dos estudantes de filosofia pré-Freudianos segue se repetindo. Os processos psicológicos inconscientes superam o raciocínio consciente, tanto no tempo como na abordagem, o que torna possível muitos fenômenos psicológicos: incluindo aqueles genericamente descritos como conversivos, tais como o bloqueio subconsciente das conclusões, a seleção e, também, a substituição de premissas aparentemente desconfortáveis.

Nós falamos de bloqueio de conclusões se o processo inferencial foi apropriado em princípio e quase chegou a uma conclusão e compreensão finais dentro do ato de projeção interna, mas tornou-se frustrada por uma diretiva precedente do subconsciente, que considerou a conclusão inadequada ou perturbadora. Essa é a prevenção primitiva da desintegração da personalidade, que pode parecer vantajosa. Contudo, ela também previne todas as vantagens que poderiam derivar da conclusão e da reintegração elaboradas conscientemente. Uma conclusão, assim rejeitada, permanece em nosso subconsciente e causa, de uma forma mais inconsciente, os próximos bloqueios e seleções desse tipo. Isso pode ser extremamente prejudicial, escravizando progressivamente a pessoa em seu próprio subconsciente, e está freqüentemente acompanhado de um sentimento de tensão e amargura.



Nós falamos de seleção de premissas sempre que o retorno penetra mais profundamente no raciocínio resultante e, assim, exclui do seu banco de dados somente aquela parte da informação que foi responsável pela conclusão desconfortável, reprimindo-a para o subconsciente. Dessa forma, nosso subconsciente permite o raciocínio lógico posterior, exceto aquele cujo resultado estará em desacordo, na proporção direta ao significado real da informação reprimida. Um número sempre crescente de tais informações reprimidas é coletado em nossa memória subconsciente. Finalmente, um tipo de hábito parece assumir o comando: todo material similar é tratado da mesma forma, mesmo que o raciocínio leve a um resultado perfeitamente vantajoso para a pessoa.

O processo mais complexo desse tipo é a substituição de premissas assim eliminadas por outras informações, garantindo uma conclusão ostensivamente mais confortável. Nossa habilidade associativa elabora rapidamente um novo item para substituir o que foi removido, que levará a uma conclusão confortável. Essa operação leva muito tempo e é improvável que seja exclusivamente subconsciente. Tais substituições são, com frequência, efetuadas coletivamente, em certos grupos de pessoas, através do uso de comunicação verbal. É por essa razão que elas se qualificam melhor para o epíteto moralista “hipocrisia” do que qualquer um dos outros processos descritos acima.


Os exemplos acima de fenômenos conversivos não exaurem o problema ilustrado ricamente nos trabalhos psicanalíticos. Nosso subconsciente pode portar as raízes do gênio humano dentro de si, mas sua operação não é perfeita; algumas vezes é uma reminiscência de um computador cego, especialmente quando permitimos que ele seja entulhado com material ansiosamente rejeitado. Isso explica porque o monitoramento consciente, mesmo ao preço de aceitar corajosamente estados desintegrativos, é igualmente necessário à nossa natureza, para não dizer ao nosso bem individual e social.

Não existe tal coisa, de uma pessoa cujo autoconhecimento perfeito a permite eliminar todas as tendências em direção ao pensamento conversivo, mas somente pessoas relativamente próximas desse estado, enquanto outras permanecem escravas desses processos. Aquelas pessoas que utilizam operações conversivas com muita frequência, com o propósito de encontrar conclusões convenientes, ou de construir algumas declarações paralógicas ou paramoralistas perspicazes, começam eventualmente a empreender esse comportamento por razões cada vez mais triviais, perdendo a capacidade para o controle consciente sobre o seu processo de pensamento como um todo. Isso leva necessariamente a erros de comportamento, que serão pagos por outras pessoas tanto quanto por elas mesmas. As pessoas que perderam sua higiene psicológica e sua capacidade para o pensamento apropriado ao longo dessa estrada, também perdem suas faculdades críticas naturais em relação às declarações e comportamentos de indivíduos cujos processos de pensamento anormal foram formados no substrato das anomalias patológicas, sejam elas herdadas ou adquiridas. Os hipócritas param de diferenciar entre indivíduos normais e patológicos, abrindo então uma “entrada para a infecção” para o papel ponerogênico dos fatores patológicos.

https://www.passeidireto.com/arquivo/17666881/lobaczewski-andrew-ponerologia-psicopatas-no-poder/36  



O PROBLEMA DA MEIA VERDADE
https://youtu.be/QzZ45OMLwH4

*
É PROIBIDO PERCEBER - Olavo de Carvalho
"O projeto de lei que dá à corrupção o estatuto de “crime hediondo” não teve origem inocente, nem sequer decente: foi enviado à Câmara em 2009 por aquele mesmo indivíduo que, acusado de inventor e gestor do maior esquema de corrupção que já se viu neste país, apostou na lentidão da Justiça como garantia de sua eterna e tranqüilíssima impunidade."

"Li outro dia um estudo sobre os males do botox, que, travando o jogo natural dos músculos da face, destrói a expressão emocional espontânea e confunde a leitura imediata de sinais em que se baseia toda a convivência humana. Mais que o botox, porém, têm esse efeito as imposições legais e morais de um Estado psicologicamente prepotente e invasivo, que em nome dos direitos humanos extingue o direito às reações naturais."
http://www.olavodecarvalho.org/semana/110919dc.html

*
A VERDADE CONTRA O POLITICAMENTE CORRETO https://youtu.be/ec8ZwbDf8TE
*
O POLITICAMENTE CORRETO PRECISA SER DESMASCARADO https://youtu.be/Nebw7n2OZc4
 *
O RELATIVISMO ABRE O CAMINHO PARA O ABSOLUTISMO POLITICAMENTE CORRETO E A DISTORÇÃO DE VALORES E CONCEITOS
http://www.olavodecarvalho.org/semana/130325dc.html
*
É PROIBIDO PERCEBER
http://www.olavodecarvalho.org/semana/110919dc.html
*
O Ministério da Felicidade Virtual
http://sensoincomum.org/2015/11/09/o-ministerio-da-felicidade-virtual/

*
A Psicopolítica: a substituição de crença pelo paramoralismo filosófico.
https://www.linkedin.com/pulse/psicopol%C3%ADtica-substitui%C3%A7%C3%A3o-de-cren%C3%A7a-pelo-filos%C3%B3fico-rodrigues
*
Los paramoralismos son frases o argumentos falaces y persuasivos que a primera vista pueden parecer hechos morales y rebosantes de ética, pero realmente son conjuntos de palabras utilizadas para conseguir el beneficio del que las pronuncia.
https://es.sott.net/article/20582-Encadenados-a-nosotros-a-mismos
*
Não há vergonha maior em toda a história da humanidade do que aquela registrada pelo século XX. Em nome de uma utopia, mais de 100 milhões almas foram ceifadas no altar de um “mundo melhor”.  Lênin, Stalin, Mao Zedong, Pol Pot, Ho Chi Minh e Fidel Castro são apenas alguns dos responsáveis por produzir a maior pilha de cadáveres jamais vista em tempos de paz. Sob a égide da justiça social as maiores atrocidades foram cometidas com o beneplácito daqueles que acreditavam reformar o mundo.
https://adoteumvereadorcampinas.wordpress.com/2014/10/17/patocracia/
*
Escola sem censura - Olavo de Carvalho |
http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/denuncias/16643-escola-sem-censura.html
*
INFANTICÍDIO, PEDOFILIA E EUTANÁSIA - DA ONU PARA O MUNDO - OLAVO DE CARVALHO
http://youtu.be/z7L2l8Ilnys
*
Engenharia de Controle Social
https://youtu.be/OwzYaGWnZao
*
ENGODO E MANIPULAÇÃO
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/10/tecnicas-de-engodo-e-manipulacao-de.html
*
MAQUIAVEL PEDAGOGO
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/02/educacao-na-nova-ordem-mundial-e.html
http://conspiratio3.blogspot.com.br/search/label/MAQUIAVEL%20PEDAGOGO
*
PSICOPOLÍTICA
http://conspiratio3.blogspot.com.br/search/label/PSICOPOL%C3%8DTICA
*
MANIPULAÇÃO COMPORTAMENTAL
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2013/02/a-resistencia-rebeldes-na-nova-ordem.html
*
CONHECIMENTO É ANTÍDOTO PARA ENGAMBELAÇÕES IDEOLÓGICAS
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/07/conhecimento-e-antidoto-para.html
*
POLITICAMENTE CORRETO: O DISFARCE PARA A PRÁTICA DO MAL SOCIAL
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/07/politicamente-correto-justificacao-para.html
*
CENSURA POLITICAMENTE CORRETA DOS PENSAMENTOS - INCRIMINAÇÃO DO DISCURSO DE ÓDIO - PARAMORALISMO http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/06/censura-politicamente-correta-dos.html  
*
PUTIN INFILTRA,SEDUZ E DESVIRTUA REAÇÕES CONSERVADORAS NO OCIDENTE
http://www.midiasemmascara.org/artigos/globalismo/16662-2016-08-09-01-56-43.html
*
PSIQUIATRIA APARELHADA PARA PERSEGUIR PESSOAS E INVERTER A NOÇÃO DE NORMALIDADE
Quando Andrew Lobaczewski chegou aos EUA, os americanos lhe perguntavam "O que os políticos têm a ver com psiquiatria?", pois não imaginavam que o estudo e a prática das ciências da mente eram extremamente controlados e censurados nos países comunistas. E a dificuldade maior para ele era explicar que uma das principais razões é a necessidade dessas ditaduras de ocultar sua própria natureza patológica e psicopática e a de seus líderes. Outra é a de ter à mão diagnósticos fabricados especificamente para perseguir opositores políticos e inverter a própria noção de normalidade. Hoje, em nosso país, já podemos detectar os mesmos passos, adaptados, nessa direção. O Judiciário já legisla e usa categorias artificiais politicamente corretas, sob medida para enquadrar e criminalizar pessoas direitas: Jair Bolsonaro, Carla Zambelli e outros. O STF é um braço da ditadura e pratica uma justiça flagrantemente seletiva, arbitrária, e mesmo contrária à lei, como no caso de Eduardo Cunha e do impechment (min. Barroso filmado mentindo na cara dura para justificar a mão do Judiciário no Legislativo). Enfim, absurdos incessantes que escandalizariam qualquer país livre, democrático, com imprensa REAL. Abaixo, alguns parágrafos do livro PONEROLOGIA: PSICOPATAS NO PODER, de Lobaczewski.
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/07/psiquiatria-aparelhada-para-perseguir.html


OLAVO DE CARVALHO -  "Homofóbico" é um insulto gravíssimo, e quem o profere tem de ir para a cadeia, a não ser que prove a veracidade do qualificativo, isto é, mostre que o insultado tem horror e ódio irracional aos homossexuais ao ponto de cometer violência contra eles -- um sintoma psiquiátrico que existe, mas é tão raro quanto qualquer outra tendência patológica à maldade e ao crime.
Usar termos técnicos de psiquiatria, de ciência política ou de sociologia como puros insultos em vez de restringir o seu emprego à função descritiva é, desde logo, aviltar o conhecimento científico para tirar dele vantagem ilícita. É talvez o tipo mais disseminado de fraude hoje em dia no Brasil, e praticá-lo é o que mais se ensina nas nossas universidades.
Releiam o meu post sobre o termo "fascista" e vejam o estado de demência a que o uso abusivo dessa palavra está criando no Brasil." "Quando uma boa meia-dúzia tiver ido parar na cadeia por abusar do termo "homofóbico", essa merda vai acabar."
https://www.facebook.com/carvalho.olavo/

SOCIALISMO É A PROMESSA DE OBTER UM RESULTADO POR MEIOS QUE PRODUZEM O RESULTADO INVERSO - "Revolucionários são doentes mentais. Os exemplos de sua incapacidade para lidar com a realidade como pessoas maduras e normais são tantos e tão gigantescos que seu mostruário não tem mais fim. Cito um dentre milhares. O sentimento de estar constantemente exposto à violência e à perseguição por parte da "direita" é um dos elementos mais fortes que compõem a auto-imagem e o senso de unidade da militância esquerdista. No entanto, se somarmos todos os ataques sofridos pelos esquerdistas desde a "direita", eles são em número irrisório comparados aos que os esquerdistas sofreram dos regimes e governos que eles próprios criaram. Ninguém no mundo perseguiu, prendeu, torturou e matou tantos comunistas quanto Lenin, Stálin, Mao Tsé Tung, Pol Pot e Fidel Castro. A militância esquerdista sente-se permanentemente cercada de perigos, e nunca, nunca percebe que eles vêm dela própria e não de seus supostos "inimigos de classe". Olavo de Carvalho
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2016/08/socialismo-e-promessa-de-obter-um.html

MENTALIDADE REVOLUCIONÁRIA http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/13970-alguns-tracos-da-mente-revolucionaria.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário