CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

segunda-feira, 24 de abril de 2017

FRANÇA - AS CHANCES DE LE PEN



Filipe G. Martins
Filipe G. Martins

Que me desculpem os amigos que estão indo nessa direção, mas quem está se guiando pela cobertura tradicional da mídia, e por leituras simplistas do resultado de ontem, para dizer que Le Pen é carta fora do baralho não sabe do que está falando. Se é verdade que hoje o resultado mais provável é a vitória do Macron no segundo turno, também é verdade que hoje é só o início da verdadeira disputa — e que ela será muito mais acirrada do que os profetas do óbvio querem nos fazer crer.

Emmanuel Macron é o candidato da França otimista, daqueles que vivem (ou, ao menos, consideram viver) muito bem. Marine Le Pen é a candidata da França esquecida, dos desempregados, dos trabalhadores, dos aposentados, das famílias empobrecidas, das vítimas do terror, daqueles que amam a velha França, que conhecem o lado ruim da imigração e que vivenciam na pele algo que o Justin Trudeau da Sorbonne não saberia nem sequer colocar em palavras.

Já há algum tempo se tornou consenso a idéia de que a Le Pen possui um teto intransponível, e hoje as pesquisas dizem que ela não passará dos 38% no segundo turno, mas estou olhando para os números e eles me dizem o contrário. A Le Pen não possui um teto, ela possui um piso e ele gira em torno dos 42% — esta será uma semana muito corrida pra mim, mas espero poder expandir isso em um artigo em breve.

PS.: Quanto aos textos de quem descobriu ontem (ou hoje, sei lá) que a Le Pen é mais estatista (e outros adjetivos do tipo) que o Macron, simplesmente ignorem. Saber disso há meses é um dos requisitos mínimos de qualquer um que queira escrever sobre o assunto, como também o é saber que a economia está longe de ser a questão central por lá. Há motivos ainda mais importantes para rejeitar o pacote de propostas da Le Pen, mas as consequências objetivas da vitória dela são muito mais importantes (e desejáveis) no longo prazo do que qualquer proposta economicamente benéfica. O que está em jogo por lá é a verdadeira liberdade e não a liberdade de brinquedo dos discursos ideológicos da internet.

https://www.facebook.com/filipe.garcia.5621/posts/1061210214023328
https://www.facebook.com/filipe.garcia.5621
https://www.facebook.com/MarineLePen/

*

CENSURA - FACEBOOK FECHA MILHARES DE PÁGINAS DA REDE FRANCESA PARA CALAR A DIREITA ANTES DAS ELEIÇÕES
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/04/censura-facebook-fecha-milhares-de.html

*
PROTESTOS ESQUERDISTAS
http://conspiratio3.blogspot.com.br/2017/02/o-que-esta-aconmtecendo-na-franca.html

FRAUDE ELEITORAL? - E, no final das contas, as eleições na França foram fraudadas... (No dia, eu vi fotos no Twitter de cédulas da Le Pen rasgadas -- que são invalidadas -- e de cédulas duplicadas para o Macron: o eleitor recebia pelo correio, em vez de uma cédula para cada candidato, duas para o Macron e, então, se o apoiasse, podia votar duas vezes; ou não podia votar na Le Pen porque a cédula chegara rasgada.... Que coincidência!
https://www.facebook.com/yurivs/posts/10154872086963800

Se eles têm a ousadia de entregar o país à ação predatória de estrangeiros, pelos mesmos motivos inconfessáveis podem muito facilmente fraudar eleições. Extinguir a democracia é um dos seus motivos secretos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário