CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

sexta-feira, 26 de julho de 2019

PAULO GUEDES na trilha do HACKER

.





*


25-07-2019 Informação é Poder. Os mais altos cargos hackeados. Nas mãos de quem estão informações sensíveis e o que farão com essas informações? Leis podem ser aprovadas com base em chantagens? Decisões judiciais também podem?
O Brasil, ante a sua infantilidade e falta de seriedade em assuntos sensíveis (já demonstrada pela falta de rigor sobre a criminalidade que cresce a passos largos há três décadas com a conivência e participação do Estado Brasileiro), agora pode chegar a um novo estágio de ruína social e política.
Corre-se o grave risco de termos os mais altos representante do poder agindo como fantoches, em total submissão a interesses de grupos criminosos. A Polícia Federal encontra-se, talvez, com a investigação mais importante de sua história - aquela que pode manter o pouco que resta do Estado de Direito no país.
https://www.facebook.com/bruno.carpes/posts/10156185954721786

Carlos Fernando dos Santos Lima
15 h Greenwald mentiu ao dizer que sua fonte era anônima. Agora é apurar se ele participou do crime ou não. Nenhuma liberdade de imprensa autoriza a participação em crimes. Outra resposta a ser dada é se Greenwald mentiu para seus parceiros na divulgação do material ( Veja, Folha de São Paulo, Bandeirantes) sobre a identidade do estelionatário-hacker, pois estes veículos também disseram aos seus leitores-ouvintes que se tratava de fonte anônima. Ainda por cima, enganaram seus consumidores ao sugerir que poderia ser um whistleblowing e não um crime de violação de sigilo de comunicações, o que era evidente desde o princípio. Há muito o que ser revelado ainda, mas fica claro que os presos são apenas uma das organizações criminosas envolvidas nos fatos. Como criminosos comuns interessados em dinheiro, resta descobrir quais criminosos pagaram pelas informações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário