CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

terça-feira, 13 de abril de 2021

PHVOX - Como identificar um verdadeiro fascista?

.

Chamar de fascista é fácil, o difícil é escapar da pecha de fascista quando aqueles que costumam chamar os outros de fascistas são eles mesmos tomados de fascismo até à alma. Vamos desmascará-los, portanto.

Faça o download grátis do e-book para quem deseja aprender de verdade sobre as cruzadas: https://bit.ly/3wxpoBD 

🤩 TORNE-SE MEMBRO DO CANAL: http://bit.ly/apoiadorpha​​​​​

📚 CONHEÇA NOSSA LIVRARIA: https://livrariaphvox.com.br/​​​​​ 

🎙️ OUÇA NOSSO PODCAST: https://anchor.fm/phvox​​​​​ 

📰 CANAL DO TELEGRAM = https://t.me/PHVox​​​​​ 

🏛️ Contribua pelo PicPay: @pharaujo85 

*

"O fascismo (e sua versão radical, o nazismo) eram categoricamente anti-comunistas. Nos anos de 1930, o stalinismo fez do anti-fascismo um pilar de sua propaganda, seduzindo intelectuais e galvanizando movimentos de resistência em todo mundo. Na verdade, na ausência da retórica anti-fascista, é difícil imaginar o stalinismo tornando-se um imã tão extraordinário para indivíduos, quanto mais, inteligentes e razoáveis. Essas pessoas estavam convencidas de que, ao apoiar os Frontes Populares, especialmente durante a Guerra Civil Espanhola, estavam se opondo à barbárie nazista. A máquina de propaganda da Internacional Comunista defendia os direitos humanos contra as atrocidades abomináveis perpetradas pelos nazistas, ocultando o fato de, até 1939, a maior parte dos crimes na Europa terem sido cometidos por stalinistas na URSS." (Vladimir Tismaneanu, O Diabo na História) 
 
A fórmula "comunismo = anti-fascismo" foi ampliada pela retórica comunista para atingir seus acusadores: "anti-comunistas = fascistas". O anti-fascismo tem servido como escudo para ocultar os crimes comunistas contra a humanidade desde a década de 1940. 

"As dificuldades relatadas para um reconhecimento dos crimes em massa comunistas são devidas às longas décadas de controle pelo Estado, das informações nesses países, ao atraso na abertura dos arquivos e à reação nervosa de círculos de esquerdistas na Europa Ocidental ao que acreditaram ser uma instrumentalização política do passado."

"Jeffrey Herf, por exemplo, argumentou que "a despeito de algumas exceções, Courtois tem razão: na academia ocidental, os eruditos que escolhem focalizar os crimes do comunismo eram e continuam a ser uma minoria, e enfrentam o perigo de bloqueio da carreira se forem rotulados de direitistas". (Vladimir Tismaneanu)

"Em 1947 a URSS conseguiu retirar "grupos políticos" da definição de genocídio da ONU para não ser investigada e condenada por seus crimes, mantendo sua reputação ilesa:
 "Ademais, "todos os esboços iniciais da Convenção de Genocídio, incluindo o esboço inicial do Secretariado da ONU, feito em maio de 1947, incluiam grupos políticos em sua definição. Os soviéticos, os poloneses e mesmo alguns membros não-comunistas dos comitês da comissão de redação objetaram" (Vladimir Tismaneanu, O Diabo na História)  

https://conspiratio3.blogspot.com/2021/01/leandro-ruschel-ameaca-do-totalitarismo.html 

*

LEANDRO RUSCHEL - A ameaça do totalitarismo está na direita? https://conspiratio3.blogspot.com/2021/01/leandro-ruschel-ameaca-do-totalitarismo.html 

Nenhum comentário:

Postar um comentário