CENSURA, DITADURA, POLITICAMENTE CORRETO

Seguidores

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

POLÍCIA INTIMA ALLAN FRUTUOZO PARA FALAR SOBRE MANIFESTAÇÕES

.

 

*

INQUÉRITO DO FIM DO MUNDO: https://youtu.be/19mgyBIbp7U?t=3790

"O CRIME SEM CASTIGO LEVA AO CASTIGO SEM CRIME" -  https://youtu.be/19mgyBIbp7U?t=6429  

CLÁUDIA PIOVEZAN - O professor Ran Hirschl, neste livro RUMO À JURISTOCRACIA, fez uma pesquisa em vários países e o livro dele focou em quatro: Canadá, Nova Zelândia, Israel e África do Sul. Este livro foi escrito em 2004, e o que ele descreve em 2004 é o que a gente está vendo aqui no Brasil: há uma espécie de conluio entre o poder político, o poder econômico e o poder judicial para que ocorra uma TRANSFERÊNCIA DE PODER para o Judiciário. Então, não é que o STF tomou para si o poder na calada da noite, sem que os outros pudessem reagir. Não. Existe uma conivência para que ocorra esta transferência de poder. E ele diz que isso geralmente acontece quando os políticos que estão no poder começam a perceber que eles estão perdendo o poder político, que isso vai ter reflexos na urna eleitoral. Então, como eles estão percebendo que vão sair, vão ser substituidos por outros políticos, eles fazem esse deslocamento de poder para o Judiciário porque os membros dessas cortes são indicados por quem está no poder. Então, primeiro eles colocam seus agentes lá e depois, quando eles perdem o poder político, eles continuam determinando a pauta do Estado por meio da corte. 

https://youtu.be/19mgyBIbp7U?t=7839


O STF é um tribunal político, indicado por políticos e nomeado por políticos, o que nunca deveria acontecer. Com o agravante ainda de estes serem corruptos em grande parte. Políticos julgam os ministros do STF e o STF julga os políticos. E aí?

*

Bernardo Küster, Silvio Grimaldo e Paulo Briguet entrevistam a organizadora da obra que previu a ditadura do STF 

O livro Inquérito do Fim do Mundo, que reúne ensaios de juristas brasileiros sobre o famigerado e ilegal Inquérito das Fake News, chegou nos últimos dias ao 9º lugar no ranking geral dos mais vendidos da Amazon, e 1º lugar nas categorias Direito e Ciências Políticas. O motivo desse salto é o caráter profético da obra: tudo que fora apontado pelos autores da coletânea está sendo levado ao extremo pelo STF agora: a destruição da ordem jurídica nacional, o ataque sistemático à liberdade de expressão e a perseguição aos conservadores. 

Por isso, o Conexão KGB de hoje tem uma convidada especial: a Dra. Cláudia Piovezan, organizadora do livro lançado pela Editora EDA. Bernardo Küster, Silvio Grimaldo e Paulo Briguet vão conversar com ela sobre o apagar das luzes no direito e na democracia brasileira.

Assine o BSM: https://pages.brasilsemmedo.com/assine/ 

* 

"RUMO A JURISTOCRACIA" "Ran Hirschl, muito perspicazmente, notou que quanto mais aspectos da vida civil são contemplados em uma carta constitucional, maior o poder que é transferido aos juízes.
Ao se adotar uma carta fundamental de direitos, tudo que lá se encontra previsto se torna judicializável, fortalecendo o judiciário na medida em que os assuntos constitucionais poderão ser objeto de uma decisão judicial. Além disso, acaso haja a previsão de normas programáticas de implantação de políticas públicas, tal assunto também passará para a esfera judicial, onde, a depender do grau de elastecimento da interpretação utilizada, poderá até mesmo culminar na definição de políticas públicas ou na recusa de validade a atos normativos provenientes do legislativo."
Trecho do prefácio de Ludmila Lins Grilo em Rumo à Juristocracia, as origens e consequências do novo constitucionalismo. 

Dísponivel em: http://bit.ly/EdaJuristocracia

https://www.facebook.com/edaeditora/videos/rumo-%C3%A0-juristocracia/2824597417825389/

*

POR QUE AS PESSOAS NÃO REAGEM? Elas não estão percebendo que o império da lei está desmoronando? Elas não estão avaliando quanto a vida delas vai mudar? E os juristas? Por que não alertam esta população? 

 



No livro “Inquérito do Fim do Mundo”, lançado hoje pela Editora E.D.A., juristas brasileiros discutem a maior aberração jurídica da história do país: o Inquérito 4.781, presidido por Alexandre de Moraes

Acaba de ser lançado um dos livros mais importantes do ano: “Inquérito do Fim do Mundo — O apagar das luzes do Direito Brasileiro” (Editora E.D.A.). Concebida e organizada por Cláudia Rodrigues de Morais Piovezan, a obra reúne ensaios de Cleber Neto, Marcelo Rocha Monteiro, Márcio Luís Chila Freyesleben, Ludmila Lins Grilo, Sandres Sponholz, Marcelo Salomão Czelusniak e Rogério Greco — todos personagens de renome no campo jurídico nacional. O livro conta ainda com um texto do analista político e escritor Flávio Morgenstern e prefácio do jornalista e escritor Paulo Briguet, editor-chefe do BSM.


No livro “Inquérito do Fim do Mundo”, lançado hoje pela Editora E.D.A., juristas brasileiros discutem a maior aberração jurídica da história do país: o Inquérito 4.781, presidido por Alexandre de Moraes
 
“O que faltou na Alemanha dos anos de 1920 e 1930 foram pessoas responsáveis com o sentido da busca da verdade. O que sobrou foram fanáticos fundamentalistas convictos da ‘sua’ verdade.”
(Eric Voegelin, em “Hitler e os alemães”)

https://conspiratio3.blogspot.com/2020/08/flavio-morgenstern-live-do-livro.html

* 

OLAVO DE CARVALHO - “O óbvio dos óbvios. Uma democracia não pode ser instaurada por meios democráticos: para isso ela teria de existir antes de existir. Nem pode, quando moribunda, ser salva por meios democráticos: para isso teria de continuar saudável enquanto vai morrendo.

O assassino da democracia leva sempre vantagem sobre os defensores dela. Ele vai suprimindo os meios de ação democráticos e, quando alguém tenta salvar a democracia por outros meios — os únicos possíveis –, ele o acusa de antidemocrático.
É assim que os mais pérfidos inimigos da democracia posam de supremos heróis da vida democrática.”
 
OLAVO DE CARVALHO - "Segundo o Toffonhonho e similares, homofobia é crime, cristofobia é liberdade de expressão." 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário